Lançamento da Revista Docomomo Brasil

O DOCOMOMO Brasil, como parte das comemorações dos seus 25 anos, tem o prazer de anunciar a publicação do número 01 da revista | docomomo_br.

O lançamento ocorrerá na Assembleia do 12º Seminário DOCOMOMO Brasil.

Uberlândia-MG
23 de novembro
às16h20
Auditório A – B Bloco 5R – Campus Santa Mônica

12º Seminário DOCOMOMO Brasil

O tema do 12º Seminário DOCOMOMO Brasil pretende contribuir no debate sobre a preservação e sobre a difusão do acervo arquitetônico e urbanístico do Movimento Moderno brasileiro no sentido de seu reconhecimento pela sociedade em geral. Desse modo, o objetivo deste Seminário é avançar no estudo destas práticas e pensar as diferentes formas de ampliar o diálogo e a ação do DOCOMOMO Brasil com as comunidades envolvidas e com os diferentes órgãos preservacionistas, entendendo-se que ambos atores são responsáveis pela tutela desse patrimônio cultural. Coloca-se assim em questão como o DOCOMOMO Brasil pode ampliar seu engajamento social atuando junto a grupos sociais, associações culturais, instituições, ONGs, órgãos governamentais e mesmo outros setores da academia, para propor alternativas de uso, de gestão e de atribuição de valor e também promover a apropriação do patrimônio moderno e dos contextos que o envolvem.
Clique aqui para maiores informações

VILANOVA ARTIGAS: Casas Paulistas

O Docomomo_Brasil, o IAB-PE, o MDU/UFPE e a Romano Guerra Editora convidam para a palestra e lançamento do livro:

"Vilanova Artigas - casas paulistas" de Marcio Cotrim

Terça-feira dia 18 de abril de 2017, às 19h no IAB-PE
Rua Jener de Souza, n.130, Derby, Recife-PE

Abertura: Fernando Diniz - Coordenador Geral Docomomo Brasil
Apresentação do Livro: Marcio Cotrim

O livro se origina da tese de doutorado defendida com em julho 2008 na Universidade Politécnica da Catalunha, de autoria de Marcio Cotrim e sob a orientação dos professores Fernando Alvarez Prozorovich (Espanha) e Abilio Guerra (Brasil), que assinam a apresentação do livro, onde pode ser ler o seguinte:

“Evitando mecanismos apriorísticos, o autor trabalhou com uma grande quantidade de material original do período analisado disponível no arquivo de Vilanova Artigas, visitou e experimentou suas casas, conversou com seus proprietários e recolheu valiosos depoimentos. Além disso, realizou um trabalho de análise metodologicamente impecável no qual se destacou o interesse pela obra e a necessidade de revelar o modus operandi do autor, buscando recordar o ‘muito no pouco’, como diz o poema de Fernando Pessoa citado pelo próprio Artigas em seu texto 'O desenho', de 1967. E devemos reconhecer que não é tarefa fácil o desafio de analisar obras e projetos estilisticamente tão diferentes como as casas Elza Berquó, José Mário Taques Bittencourt III, Ariosto Martirani, Alfred Günther Domschke, Juvenal Juvêncio, Elias Calil Cury ou José Vieitas Neto. Na confrontação com a doxa arquitetônica de sua época, expressada pela jovem crítica brasileira desencantada frente aos dogmas modernos reinantes, Artigas parece eleger dar um passo atrás, talvez para não ficar completamente isolado”.

Na ocasião, o livro estará à venda pelo preço promocional de apenas R$40,00.

Patrocínio: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo

Realização: Governo do Estado de São Paulo e Ministério da Cultura, Lei de Incentivo à Cultura.
Apoio Cultural: Projeto Vilanova Artigas, Gail e Senac

Carta manifesto em apoio à preservação da arquitetura moderna do Recife

Aconteceu no dia 16 de março na sede do IAB-PE, no antigo edifício do Pavilhão de Óbitos, um das primeiras obras da Arquitetura Moderna em Recife, o debate sobre a “Descaracterização da Arquitetura Moderna”, com a participação de Marco Antônio Borsoi (arquiteto e filho de Acácio Gil Borsoi), Tota Maia (arquiteto e filho de Heitor Maia), Ricardo Pessoa de Melo (arquiteto e filho de Vital Pessoa de Melo) e do arquiteto Wandenkolk Tinoco. Também esteve presente na mesa Maria Luiza Macedo Xavier de Freitas, secretária executiva do Docomomo_Brasil.

Como resultado do debate foi redigido um manifesto, o qual se pode acessar pelo link no facebook.

Participantes do debate. Foto: IAB-PE

Realizado em Palmas o II SAMA

Entre os dias 13 e 16 de março ocorreu o II SAMA em Palmas, no Tocantins. O SAMA é um evento anual e itinerante que se iniciou em Manaus em 2016 e deverá percorrer todas as capitais da Amazônia Legal.

Nessa segunda edição, organizada pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) e Centro Universitário Luteranos de Palmas (CEULP/ULBRA), participou um número bastante expressivo de inscritos, cerca de 700, de 16 estados brasileiros. Entre os conferencistas estavam Hugo Segawa (USP), Hélio Olga (Ita Construtora), Gustavo Utrabo (Aleph Zero Arquitetura), Luis Fernando Cruvinel e Walfredo Oliveira (autores do plano de Palmas), José Botura Portocarrero (UFMT) e Celma Paes (UFPA).

Durante o evento foi feito o pré-lançamento do periódico AMAzônia Moderna, produto do SAMA e primeira revista acadêmica de arquitetura da região norte, exibida a mostra de filmes do Docomomo_BR e realizado o Samatour onde se constatou o estado de abandono da primeira sede da Assembleia Legislativa do estado, projeto do arquiteto Ernani Vilela.

No encerramento foi apresentada uma carta de apoio ao escritório Brasil Arquitetura em razão de recente constrangimento midiático e iniciada a campanha #salveantigaALtocantins para alertar a sociedade para o descaso com o patrimônio arquitetônico no estado.
O III SAMA será em fevereiro de 2018 na cidade de Belém.

Agradecemos ao filiado Marcos Cereto pela colaboração

Samatour à antiga sede da Assembleia Legislativa do Tocantins. Autoria: comissão organizadora II SAMA

Apresentação da Revista AMAzônia Moderna por sua comissão editorial. Autoria: Comissão organizadora II SAMA

Seminário Internacional la Arquitectura de la Gran Ciudad

O II Seminário International La Arquitectura de la Gran Ciudad ocorreu entre 21 e 22 de novembro Pontificia Universidad Católica de Chile em Santiago, Chile. A coordenadora do Docomomo International, Ana Tostões, participou como uma das palestrantes principais do evento.

Casa Vanna Venturi é tombada na Filadélfia

Vanna Venturi House. Foto: Carol Highsmith

A pioneira Vanna Venturi House projetada por Robert Venturi para a sua mãe em Chestnut Hill, nos arredores da Filadélfia, foi oficialmente tombada pelo Philadelphia Register of Historic Places. Projetada em 1962 e construída entre 1963 e 1964, a casa é um dos ícones da arquitetura pós-moderna. Tendo passado pelas mãos de apenas dois proprietários quando adquirida meses atrás, a casa está hoje integralmente conservada. O atual proprietário está plenamente comprometido com sua preservação.
http://philly.curbed.com/2016/11/11/13597060/vanna-venturi-house-historic-designation?mc_cid=8f8d39f39c&mc_eid=c89bab9486

O moderno em prosa e risco

No último dia 16 de novembro, realizou-se na sede do IAB RJ o primeiro evento preparatório para o IV Docomomo Rio 2017. O evento foi aberto pelo presidente do IAB-RJ, Pedro da Luz, sendo chamados para compor a mesa inicial os professores Renato Gama-Rosa (COC/Fiocruz) e Andréa Borde (PROURB/UFRJ), coordenador e vice do Docomomo-Rio, respectivamente, e Margareth Pereira (PROURB/UFRJ) para apresentarem e discutirem o tema O Moderno no Rio: do Risco ao Risco, que norteará as discussões do próximo seminário Docomomo Rio. 

Margareth Pereira iniciou sua palestra recuperando a noção de passado e de prospecção de futuro na relação com o patrimônio, ao lembrar uma série de intervenções que ocorreram na cidade do Rio do século XIX até os dias de hoje. Para Margareth os projetos realizados na cidade, desde Lauro Muller e Pereira Passos até às obras do Porto Maravilha, passando por Agache, Dodsworth e Carlos Lacerda, sempre lidaram com destruição, construção e reconstrução e, nesses casos, o patrimônio foi se reconfigurando para atender ao processo de transformação da cidade. Ela chamou atenção para o fato que tais projetos, de uma forma mais positiva que outros, agiam com base em planejamento, ausente nas intervenções contemporâneas. Concluiu sua palestra conclamando as instituições, em especial o Docomomo e o IAB, para juntarem esforços em ações de tomada de consciência quanto à conservação do patrimônio moderno no Rio de Janeiro, indicando possíveis caminhos para as próximas discussões que levarão ao IV Docomomo Rio.

Evento preparatorio docomomo rio realizado no IAB-RJ

 

Na mesma ocasião, a pesquisadora Ana Esteban Maluenda (Universidade Politecnica de Madrid), fez palestra de lançamento do livro La Architectura Moderna en Latinoamerica, por ela organizado.

Museografia e Arquitetura de Museus: Fotografia e Memória

Museografia e Arquitetura de Museus: Fotografia e Memória

Homenageando o fotógrafo pernambucano Benicio Watley Dias (1914 – 1976), cujas fotografias constroem uma imagem moderna do Recife nas décadas de 1930 a 1950, aconteceu em Lisboa, Madrid, Rio de Janeiro e Recife a quinta edição do Seminário Internacional Museografia e Arquitetura de Museus dedicado ao tema Fotografia e Memória.

Com o mérito de reunir pela primeira vez estudiosos brasileiros e estrangeiros voltados para pesquisa com o recente tema da fotografia, o seminário foi organizado pelo grupo de estudos ArqMuseus, da UFRJ, com a parceria de algumas instituições das cidades que o sediaram: em Lisboa pela ULHT e FA/ULisboa, em Madrid pela UPM, ETSAM e em Recife pelo LUP e MDU.

Em Recife contou com a conferência de abertura de Pedro Karp Vasquez sobre o recém-lançado livro de fotografias do Rio de Janeiro, de Cristiano Mascaro, e com a conferência de fechamento feita por Ulpiano Meneses sobre Imagem Visual, Fotografia e Memória.

Uma seleção de trabalhos do seminário já está reunida no livro Museografia e Arquitetura de Museus, Fotografia e Memória, organizado por Cêça Guimarães e editado pela Rio Books.

13/10/2016. Credito: Gil VIcente/Fanzine/Fundaj. 5º Seminário Internacional - Museografia e Arquitetura de Museus: Fotografia e Memória. Sessão de Comunicações. Cêça Guimaraens (UFRJ) - Benício Dias

13/10/2016. Credito: Gil VIcente/Fanzine/Fundaj. 5º Seminário Internacional - Museografia e Arquitetura de Museus: Fotografia e Memória. Conferência “Fotografia e Memória. A Lição do Mestre, com Pedro Vasquez, escritor, fotógrafo e editor, sobre a obra de Cristiano Mascaro, O Rio Revelado

Jockey Clube de Porto Alegre

No último Docomemos, publicamos, na seção Edifícios em Risco, o caso do Jockey Clube de Porto Alegre (RS), conhecido como Palácio de Cristal e tombado pela Prefeitura desde 2008. Em resposta, recebemos dos arquitetos Flávio Kiefer e Lídia Fabrício, informações de que o edifício em questão está passando por ações emergenciais de proteção dos dois pavilhões citados.

Apesar de não ser um restauro completo do conjunto, Kiefer ressalta que com essas ações já se conquistou um Plano Diretor para o complexo, a transferência da Vila Hípica para o entorno da pista, foram feitas benfeitorias no Pavilhão Social e há uma política de sustentabilidade em marcha. “O mais importante, porém, é o reconhecimento do poder público e da direção do clube da necessidade de restauração de sua arquitetura”, segundo bem pontua o arquiteto.

Parabenizamos Flavio Kiefer e Lidia Fabrício pelo trabalho desenvolvido no Jockey Clube, agradecemos as informações e desejamos que todo o trabalho seja levado a um bom termo, fazendo com que a integridade do conjunto seja mantida.

Salão do Jockey Clube. Foto: Flávio Kiefer