Tutto Ponti: Gio Ponti Archi-designer

 

Tutto Ponti: Gio Ponti Archi-designer

Exposição no Museu de Artes Decorativas, Paris
até 05 maio 2019

Por Angelica Ponzio, PROPAR/UFRGS

Em outubro de 2018 o Museu de Artes Decorativas de Paris inaugurou a primeira exposição retrospectiva na França de um dos mais prolíficos arquitetos e designers do século XX – o italiano Gio Ponti (1891-1979). Ocupando duas alas laterais mais a nave central do museu – em sua magnifica sede na ala Oeste do Palais du Louvre, a mostra percorre todos os aspectos do projetar Pontiano, fazendo jus a máxima propagandeada por Ernesto Nathan Rogers na década de 1950: ‘da colher à cidade.’ Com trabalhos permeando preceitos ora racionalistas, ora clássicos e/ou vernáculos, Ponti é figura polêmica e muitas vezes contraditória – seu trabalho permaneceu excluído ou pouco referenciado da maioria dos relatos significativos da arquitetura moderna no século XX, sendo retomado mais atentamente a partir da década de 1980. Ponti de fato interpreta a seu modo a modernidade ao defender uma perspectiva mais pragmática e menos esquemática da realidade do que muitos de seus contemporâneos. Em seu universo, a ‘fantasia’ é elemento fundamental e catalisador, comparecendo em todas as escalas de seu projetar. Nada mais atual e merecedor retomar a obra do mestre nos dias de hoje.

Abrangendo as muitas escalas nos campos da arquitetura, design e artes aplicadas, Ponti é protagonista no surgimento do design Italiano; fundador e editor da revista Domus e Stile, professor do Politécnico de Milão, envolveu-se também diretamente em exposições como a Trienal de Milão. Os visitantes são inicialmente apresentados ao universo de Ponti através de uma reprodução da fachada da catedral de Taranto – no alto da escadaria de acesso um plano perfurado de tripla altura insinua o que está por vir. Mais de 400 peças – muitas inéditas ao público e pertencentes a coleções privadas, estão organizadas em três sessões distintas. Na nave central, um percurso cronológico leva o visitante a percorrer das décadas de 1920 a 1970 a evolução do trabalho do arquiteto/designer. Ancorado nos projetos arquitetônicos marcantes de cada período e aproveitando o pé direto, esta seção inclui cenários dispostos em pedestais com mobiliário, objetos decorativos, pôsteres, projeções de fotografias e luminárias suspensas. Nesta secção encontram-se ainda desenhos e maquetes originais pertencentes aos arquivos do CSAC da Universidade de Parma, combinadas a fotografias do arquivo Ponti. Ao longo de uma das paredes laterais, reproduções das capas da revista Domus remontam parte de sua produção editorial. Esta ala ainda inclui a projeção de filmagens de entrevistas históricas com a família e o próprio arquiteto. Já a ala vizinha ao jardim das Tulherias abarca a obra de Ponti designer: objetos decorativos, cerâmicas, louças e talheres, maçanetas, tecidos e vestimentas para teatro, além de suas famosas cartas se apresentam em um percurso todo revestido de preto entremeado por vitrines iluminadas e pensamentos do mestre. Na ala faceando a Rue de Rivoli uma visão do projetar integral de Ponti é apresentada: seis ambientes de cada um dos projetos mais representativos de cada década estão dispostos como cenários prontos a serem habitados. Iniciando pelo estar da casa L’ange Volant, passando pela sede do edifício da Montecatini – projetado a partir de um modulo de escrivania; os visitantes são ainda conduzidos aos interiores do Palazzo Bo na Universidade de Padova, aos azuis do Hotel Parco dei Principi em Sorrento– que até hoje recebe hóspedes, e ao apartamento da família Ponti na Via Dezza em Milão, com sua característica ‘janela mobiliada’. Por fim, o percurso termina na magnifica casa-museu Villa Planchart, com mobiliário e louça original trazidos especialmente pela Fundação Planchart em Caracas.

Por ocasião da inauguração realizou-se ainda, no dia anterior à abertura, uma recepção na casa que foi o primeiro projeto de Ponti no exterior – L’Ange Volant em Garches, nos arredores de Paris. De inspiração neoclássica e conservada cuidadosamente por seus proprietários, esta reúne alguns dos princípios de Ponti destinados à reformulação da filosofia do “habitar moderno,” representado na forte referência à vida e cultura italianas através do grande espaço central de dupla altura para a reunião familiar.

 

Ponti e o Brasil

No Brasil, Ponti é frequentemente referenciado através de sua ligação com Lina Bo Bardi, sua colaboradora em Milão antes de vir para o país em 1946, com seu esposo, Pietro Maria Bardi – velho amigo do mestre. Recentemente, um pequeno recorte da produção de Ponti foi apresentado na exposição internacional itinerante ‘Vivere alla Ponti.’ Promovida pela indústria de moveis italiana Molteni, a mostra foi apresentada em São Paulo no Museu da Casa Brasileira em parceria com o Instituto italiano de Cultura em 2018. No entanto, ainda é pouco divulgada a presença do arquiteto em terras brasileiras. Convidado a ministrar a disciplina de Composição decorativa, na então recente faculdade de Arquitetura da USP em 1952, Ponti visitou o Brasil por duas vezes naquele ano, terminando por desenvolver em 1953, três projetos não realizados, todos em São Paulo: uma casa para o Dr. Taglianetti, o projeto inicial para o Instituto de Física Nuclear da USP e ainda sua participação na concorrência do Prédio Itália. Segundo o próprio arquiteto, estes projetos foram fundamentais no desenvolvimento de alguns de seus princípios compositivos. Este e outros relatos estão presentes no livro/catálogo comemorativo da exposição. Com o titulo de Gio Ponti, Archi-designer, a publicação de 320 páginas, com edições em francês e inglês, conta com participações de cerca de 30 autores estrangeiros, incluindo o episódio brasileiro.

Informações
Inauguração: 19 de Outubro 2018; sucesso de público, a exposição teve seu prazo estendido para o dia 05 de maio de 2019.

Musée des Arts Décoratifs
107-111, Rue de Rivoli ; Paris, Ile de France 75001 França
Phone: +33 (0)1 44 55 57 50
Horários: Terças a Domingos de 11 a.m. a 6 p.m; Aberto até as 9 p.m. nas quintas.

Exposição
Olivier Gabet, Diretor do Museu de Artes Decorativas, Paris
Curadores: Sophie Bouilhet-Dumas, Salvatore Licitra, Dominique Forest
Assistente de curadoria: Chiara Spangaro
Cenografia: Wilmotte & Associès
Design Grafico: Italo Lupi, BETC

Livro
Editores: Sophie Bouilhet-Dumas, Dominique Forest, Salvatore Licitra
Edição Francesa: MAD, Paris, 2018; ISBN 978-2-916914-75-6
Edição Inglesa: Silvana Editoriale, Cinisello Balsamo, 2018; ISBN 978-88-366-4125-3

Profa. Dra. Angelica Ponzio
Profa. Adjunta da Faculdade de Arquitetura da UFRGS, pesquisadora e colaboradora do PROPAR/UFRGS, possui Tese de Doutoramento defendida em 2013 no PROPAR com período sanduiche no Politecnico de Milão, versando sobre a arquitetura e interiores de Gio Ponti. Autora convidada a participar na publicação/catalogo comemorativo da exposição, a Profa. Angelica contribuiu com o capitulo: Gio Ponti au Brèsil / Ponti in Brazil.

Imagens: capa catalogo, versão francesa, foto: MAD, Paris / cartaz da exposição: Graphic design: BETC and Italo Lupi; Photo credits: © Gio Ponti Archives; Editoriale Domus S.p.A., all rights reserved; Paris, MAD, photo Jean Tholance; Francesco Radino; Courtesy Wright Auctions; Associazione Amici di Doccia / Arrigo Coppitz; Vincent Thibert

Fonte das imagens: Gio Ponti exhibition’s press kit published by the Musée des Arts Décoratifs, Paris.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *