Nota de Falecimento: Professor Flávio Villaça

É com pesar que lançamos essa manifestação em razão do falecimento do arquiteto, urbanista e professor Flávio Villaça, ocorrido na segunda-feira, dia 29 de março de 2021, em São Paulo, aos 91 anos de idade.

Referência fundamental à análise da produção dos espaços urbanos, deixa um legado incomensurável, em sua atuação como docente na FAU USP, na Secretaria Municipal de Planejamento de São Paulo e como consultor em planejamento urbano em diversos órgãos públicos. Sua produção teórica,  dentre as quais se destacam “O que todo cidadão precisa saber sobre habitação” (1986), “Espaço intra-urbano no Brasil” (1998), “As ilusões do Plano Diretor” (2005) e “Reflexões sobre as cidades brasileiras” (2012), constituem referência obrigatória para aqueles que querem compreender a segregação sociourbana, característica perversa de nossa urbanização. Sempre disposto ao diálogo com colegas e estudantes, suas palestras eram verdadeiros eventos de engajamento em prol do compromisso do  social que deveria mover os arquitetos urbanistas.

“Sempre marcada por constante inquietação intelectual, a trajetória deste pesquisador nato, especialmente voltado ao tema do espaço urbano, está vinculada tanto a suas práticas profissionais quanto a sua trajetória acadêmica, antes mesmo de seu ingresso como docente na Universidade de São Paulo” – assim Sérgio Luis Abrahão e Silva Maria Zioni sintetizaram o curriculum de Flávio Villaça no artigo “Uma trajetória dedicada ao planejamento urbano brasileiro”, publicado no portal Vitruvius em 21 de novembro de 2020.
O Núcleo Docomomo Brasil manifesta seus pêsames à todos os familiares e amigos do querido e grande Professor Flávio Villaça.

SEMANA ABERTA – FRAGILIDADES E DESIGUALDADES do 27º Congresso Mundial de Arquitetos

SEMANA ABERTA – FRAGILIDADES E DESIGUALDADES do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, que abordará o primeiro eixo temático – FRAGILIDADES E DESIGUALDADES.

Data: 22 a 25 de março

A Semana é 100% ONLINE, GRATUITA e GLOBAL e reúne especialistas nacionais e internacionais em debates sobre os temas: Arquitetura da Inclusão Social; O que é mesmo periferia? e Arquitetura na Favela.

Garanta sua inscrição através do link: https://aberto.uia2021rio.archi/

Lançamento de “Revisões e ampliações da arquitetura e do urbanismo modernos no Brasil”.

ARQUITETURAS DO SOL. RESGATE DA MODERNIDADE NO NORDESTE BRASILEIRO

DADOS SOBRE O LIVRO

ARQUITETURAS DO SOL. RESGATE DA MODERNIDADE NO NORDESTE BRASILEIRO

Autoria_ Dra. Alcilia Afonso

Arte e diagramação_ Ivanilson Pereira

Número de páginas_ 410

Formato_ 21 cm x 21 cm, com capa em papel cartão triplex 300g com laminação fosca, lombada cor preta 1 x 0; com letras em verniz em relevo e plastificado;  miolo com 410 páginas em papel couchet fosco – cor 4 x4, com  115g;

SOBRE A OBRA

O título “Arquiteturas do sol”  foi utilizado como uma referência minha à uma matéria escrita na revista francesa L’architecture D’Aujourd’hui nos anos 50, que tratava sobre este tema, divulgando parte da arquitetura moderna brasileira produzida naqueles anos e que chamava a atenção dos leitores para as soluções climáticas empregadas pelos arquitetos frente aos condicionantes geográficos do país.

Desde os anos 90 do século XX, venho atuando no trabalho de documentar e conservar o acervo moderno de alguns estados da região nordeste do Brasil, especificamente nas cidades de Teresina/Piauí, Recife/ Pernambuco, e Campina Grande/ Paraíba- cidades nas quais desenvolvi e desenvolvo trabalhos profissionais e acadêmicos na área de arquitetura, seja produzindo projetos, seja atuando academicamente como docente e pesquisadora em universidades federais como a UFPI, e atualmente, a UFCG.

O subtítulo dado ao livro- “Resgate da modernidade no nordeste brasileiro”- demonstra a procura em contribuir com o processo de documentação, conservação e difusão do acervo que vem correndo riscos graves de serem perdidos, esquecidos. E na busca de tentar contribuir, foram reunidos nessa coletânea, artigos produzidos nos últimos anos, por mim e por alguns colaboradores, como o designer e doutorando Artur Thiago Thamay; o pesquisador e estudante de graduação em arquitetura e urbanismo da UFCG/ Universidade Federal de Campina Grande, Ivanilson Pereira; e a arquiteta e mestranda Marjorie Garcia- meus orientandos da graduação e da pós-graduação, que através de pesquisas, apresentaram resultados na área, desde 2015 até o presente momento.

A proposta do livro é divulgar os resultados de nossas investigações na área de arquitetura moderna no nordeste brasileiro: edificações aqui denominadas de “Arquiteturas do sol”. As obras modernas expostas foram produzidas nas cidades de Teresina/Piauí, Recife/ Pernambuco, e Campina Grande/ Paraíba- cidades nas quais desenvolvemos trabalhos profissionais e acadêmicos na área de arquitetura, seja produzindo projetos, seja atuando academicamente como docente e pesquisadora, orientando investigações arquitetônicas e relacionadas à área.

Um livro que compõe um conjunto documental que possa servir de base para novos voos acadêmicos e profissionais.  Foi dividido em quatro partes: Arquiteturas do sol; Tectônica de modernidade; patrimônio industrial e modernidade e documentação e conservação. Espera-se que os artigos selecionados para cada parte desta coletânea possam contribuir com a continuidade de pesquisas na área, servindo de subsídios para tornar mais robusto o trabalho de documentação, bem como, subsidiar projetos de intervenção para a conservação do acervo moderno nordestino, que vem correndo riscos graves de serem perdidos, esquecidos.

 

ÍNDICE  DO LIVRO

 

APRESENTAÇÃO

 

PARTE 01_ ARQUITETURAS DO SOL

Capítulo 01_ Arquitetura do sol: soluções climáticas produzidas em Recife nos anos 50_ Alcilia Afonso.

Capítulo 02_ O uso do cobogó na arquitetura moderna do nordeste brasileiro como patrimônio tecnológico construtivo_ Alcilia Afonso

Capítulo 03_ A produção arquitetônica moderna dos primeiros discípulos da Escola de Recife_ Alcilia Afonso

Capítulo 04_ Arquitetura brutalista no Piauí nos anos 70_ Alcilia Afonso

Capítulo 05_ Tertuliano Dionísio: A produção do arquiteto em Campina Grande-PB _ Ivanilson Pereira..

 

PARTE 02_ TECTÔNICA DA MODERNIDADE

Capítulo 06_ Arquitetura e estrutura: a obra de Raul Cirne em estádios de futebol do Piauí e da Paraíba nos Anos 70_ Alcilia Afonso

Capítulo 07_ Materialidade e projeto: A poética da construção residencial moderna campinense _ Alcilia Afonso.

Capítulo 08_ O uso dos ladrilhos hidráulicos na arquitetura moderna campinense_ Thiago Thamai e Alcilia Afonso

Capítulo 09_ O uso da argamassa armada em obra campinense: Caic José Joffily_ Ivanilson Pereira e Alcilia Afonso

Capítulo 10_ Análise dos elementos pré-moldados na produção de edifícios universitários da UFCG: Bloco CM. Ivanilson Pereira e Alcilia Afonso.

 

PARTE 03_ PATRIMONIO INDUSTRIAL E MODERNIDADE

Capitulo 11_ Patrimônio ferroviário brasileiro. Reflexão sobre a conservação do acervo arquitetônico e paisagístico no nordeste brasileiro. Os casos de Recife e Campina Grande. Alcilia Afonso

Capítulo 12_ Industrialização e modernidade no bairro da Prata. Campina Grande.Pb. Alcilia Afonso                                                Marjorie Garcia.

Capítulo 13_  Fábrica da Wallig Nordeste S.A. Campina Grande.Paraíba. Alcilia Afonso.

Capítulo 14_ Fábrica da Hering Nordeste. Paulista. Pernambuco. Alcilia Afonso.

Capítulo 15_ Fábrica da Bombril Abreu e Lima. Pernambuco. Alcilia Afonso.

Capítulo 16_Fábrica da Premol S.A. Campina Grande. Paraíba. Alcilia Afonso e Ivanilson Pereira.

 

PARTE 04_ DOCUMENTAÇÃO E CONSERVAÇÃO

Capítulo 17_ O trabalho do grupo de pesquisa arquitetura e lugar: Resgate da documentação da arquitetura moderna no agreste paraibano. Campina Grande. 1950-1980. Alcilia Afonso

Capítulo 18_ Desafios para a preservação da arquitetura moderna no nordeste brasileiro. Alcilia Afonso

Capítulo 19_ Conservar já! Documentar sempre. Patologias da tectônica da modernidade arquitetônica.

Estudo de caso em Campina Grande. PB. Alcilia Afonso

Capítulo 20_ Conservação da dimensão construtiva: análise do CAIC José Jofilly de Campina Grande. PB. Ivanilson Pereira e Alcilia Afonso.

 

DADOS SOBRE A AUTORA

Possui doutorado em Projetos Arquitetônicos pela ETSAB/ UPC na Espanha (2006), convalidado no Brasil pela UFRGS, mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco / UFPE (2000), sendo especialista em Arte e Cultura Barroca pela UFOP/ MG (1986), em Conservação Urbana pelo CECI/MDU/ UFPE (1998), e graduada em Arquitetura pela Universidade Federal de Pernambuco/ UFPE (1983). Obteve o DEA/ Diploma de Investigadora Europeia em 2004, pela ETSAB/ UPC, tendo experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Projetos arquitetônicos e História da Arquitetura e Urbanismo, atuando, principalmente, nos seguintes temas: projetos arquitetônicos, e patrimônio cultural. Professora visitante durante duas estadias (2010 e 2011), no programa de doutorado em projetos arquitetônicos na ETSAB/ UPC de Barcelona, realizando investigação pós-doutoral sobre “Projetos de habitação econômicos modernos brasileiros” com bolsa da Fundación Carolina, Governo Espanhol. É professora adjunta da Universidade Federal de Campina Grande/ UFCG, Paraíba, onde leciona na graduação de Arquitetura e Urbanismo, e na pós-graduação de Design e História. Coordena o Grupo de pesquisas Arquitetura e Lugar, investigando sobre patrimônio moderno e industrial. Possui catorze livros publicados na área de Arquitetura e Cidade/ Memória produzida no nordeste brasileiro, especificamente, tratando das cidades de Teresina (PI), Recife (PE) e Campina Grande (PB). É membro do ICOMOS Brasil e do DOCOMOMO Brasil.

O livro pode ser encontrado no link:

https://grupodepesquisaarquiteturaelugar.blogspot.com/

 

mockups-design.com
mockups-design.com
mockups-design.com
mockups-design.com

 

 

12° Fórum Mestres e Conselheiros

O Fórum Mestres e Conselheiros é um evento único no Brasil, no qual os militantes e os agentes que formulam e implementam as políticas de patrimônio se encontram com pesquisadores acadêmicos dos diversos programas de pós-graduação em nosso país.

O Fórum Mestres e Conselheiros é um evento único no Brasil, no qual os militantes e os agentes que formulam e implementam as políticas de patrimônio se encontram com pesquisadores acadêmicos dos diversos programas de pós-graduação em nosso país. Este ano, devido à pandemia do covid-19, nosso evento será realizado em maio de 2021.

Reconhecido hoje como referência na discussão da municipalização do patrimônio e da educação patrimonial, este Fórum foi realizado pela primeira vez em 2008, quando era voltado ainda para Minas Gerais, estendendo-se para todo o país a partir de 2009.

Em 2021, o Fórum vai discutir a perspectiva da “ação local” como base para o patrimônio. Hoje sabemos que o patrimônio, antes de ser nacional ou mesmo mundial, acontece na esfera local, e que vão ser também as ações locais as principais responsáveis pela sua preservação. “A comunidade é a melhor guardiã do seu patrimônio”, frase popularizada por Aloísio Magalhães, dialoga muito bem com a máxima contemporânea “Agir localmente, pensar globalmente”.

Em 2021, o Fórum vai discutir a perspectiva da “ação local” como base para o patrimônio. Hoje sabemos que o patrimônio, antes de ser nacional ou mesmo mundial, acontece na esfera local, e que vão ser também as ações locais as principais responsáveis pela sua preservação.

Neste sentido, esta edição dos Mestres e Conselheiros vai tematizar os diversos tipos de ação local que contribuem para a preservação do nosso patrimônio cultural, desde a atuação dos conselhos municipais até a ação corajosa de cidadãos que conseguem manter suas referências culturais, passando pelo envolvimento cívico de ONGs e outros atores.

Para mais informações, acesse o link

https://doity.com.br/12-mestres-e-conselheiros-patrimonio-e-cidade

CAMPANHA SOS GINÁSIO IBIRAPUERA

#sosoginasioibirapuera

O Complexo Esportivo do Ibirapuera está ameaçado de extinção!

A defesa deste patrimônio paulistano é também a defesa do espaço público, do direito à prática do esporte, do lazer e da memória da arquitetura brasileira.

Você pode ajudar a impedir essa destruição, apoiando seu tombamento que será decidido pelo Condephaat no próximo dia 30/11.

Participe do abraço virtual!

 

Como fazer:

  1. Copie o texto deste email e repasse para sua lista de contatos.
  2. Peça para seus amigos fazerem a mesma operação.
  3. A partir de 23/11, segunda-feira, replique nossos posts nas suas redes sociais, marcando todos os envolvidos nesta ação!
  4. Nossos posts serão veiculados pelos perfis da @fauusp e @iab.sp (Instagram e Facebook); @icomosbr.20; @icomosbrasil (Instagram); e em @FAUUSPoficial e @iab.sp (no Twitter)
  5. Siga a hashtag #sosoginasioibirapuera
  6. Não esqueça de adicionar a hashtag #sosginasioibirapuera em todos os seus posts
  7. Multiplique essa mensagem
  8. Assine a petição https://www.change.org/preservacao-ginasio-ibirapuera
  9. Saiba mais:

https://www.uol.com.br/esporte/colunas/olhar-olimpico/2020/09/18/estado-quer-privatizar-ginasio-do-ibirapuera-mas-terreno-e-da-prefeitura.htm

https://www1.folha.uol.com.br/opiniao/2020/11/tristeza-e-indignacao.shtml

https://youtu.be/nEhbOhyYQPY

https://jornal.usp.br/radio-usp/defesa-do-complexo-do-ibirapuera-diz-respeito-ao-direito-ao-lazer-e-ao-esporte/

 

 

PALESTRA PAULO BRUNA | FAU USP

A palestra virtual acontecerá no dia 17 de novembro, às 10h, pelo link abaixo:

https://www.youtube.com/channel/UCLY-6JJqMZSCwG4xlrRZSNA

O SIRIUS é um dos equipamentos do Laboratório Nacional de Luz Sincrotron (LNLS), “a maior e mais complexa infraestrutura cientifica já construída no país e uma das primeiras fontes de luz sincrotron de 4ª geração do mundo”, em Campinas. Ainda em implantação, parcialmente em funcionamento, seu potencial de pesquisa se avalia por exemplo, pela abertura de edital em julho para propostas de cientistas de todo o mundo interessados em usar a estrutura do Sinus com experimentes que possam avançar no entendimento molecular da Covid-19.

PAULO BRUNA é Professor Titular aposentado da FAU USP. Foi sócio do escritorio Rino Lavi Arquitetos Associados de 1972 a 1991; é titular de escritorio próprio desde 1992.

Lançamento do Livro: Arquitetura e Movimento Moderno

Participe do lançamento do livro Arquitetura e Movimento Moderno através do link:  https://www.youtube.com/watch?v=ofhYY5OvZ8Y

Palestra Carla Juaçaba – FAU USP

Palestra Virtual – FAU USP

10 de novembro 2020 | 10h

LINK PARA PALESTRA CARLA JUAÇABA NA FAU USP

Desde 2000, Carla Juaçaba tem desenvolvido sua prática independente de arquitetura e pesquisa com base no Rio de Janeiro. Seu escritório está atualmente envolvido tanto em programas culturais quanto em projetos privados. Após a graduação, ela trabalhou na Casa do Atelier, Casa Rio Bonito, Casa Varanda, Casa Santa Teresa, e em alguns projetos de exposições.
O Pavilhão Humanidade 2012 para a Rio+20 foi concebido com a diretora teatral Bia Lessa. Carla Juaçaba faz parte constantemente dos reinos acadêmico e docente, assim como estudos de pesquisa e palestras Harvard GSD; Columbia University GSAPP; Academia di Architettura Mendrisio. Workshop na IUAV di Venezia 2014; Júri na BIAU Bienal Ibero Americana em Madri 2012 e 2019. Ela ganhou a primeira edição do prêmio internacional ArcVision Women and Architecture 2013 na Itália.
Ela foi convidada para a Bienal de Arquitetura de Veneza 2018 com o projeto BALLAST, e também construiu uma das Capelas do Vaticano para o Pavilhão da Santa Sé.
Ela recebeu o prêmio AREA Architectural Review Emerging Architecture Award 2018.
Em 2019 foi convidada para o concurso de expansão da Fundação Gulbenkian, desenvolvido junto com o arquiteto Clovis Cunha.
Atualmente, ela leciona na Mendrisio Accademia e em seu escritório agora baseado em Londres.

CAMPANHA PARA A FILIAÇÃO DO DOCOMOMO BRASIL 2021

Participe do esforço mundial para preservar a arquitetura, o urbanismo e o design do Movimento Moderno tornando-se um membro Docomomo Brasil. Beneficie-se, assim, das vantagens que a associação oferece.
Para realizar a sua filiação, copie e cole em uma nova janela o link abaixo; preencha-o e clique em enviar.

https://forms.gle/otuTaib9xuJTb7js7

Efetue, em seguida, o pagamento de acordo com a categoria de associado pretendida. Para este ano houve um aumento no valor das anuidades, em função da forte desvalorização do Real frente ao Euro e ao Dólar. Pedimos a compreensão dos nossos filiados. Confira os novos valores e o novo prazo de filiação abaixo:

Filiado Pleno Internacional (R$ 260,00 – duzentos e sessenta reais) – somente até 10/12/2020.
Dá direito ao recebimento de duas edições da revista Docomomo Journal (versão impressa); acesso à revista Docomomo_BR (digital), ao Boletim Doco-Memos, bem como descontos em eventos internacionais, nacionais e regionais.

Filiado Pleno Nacional (R$ 80,00 – oitenta reais) Dá direito a descontos em eventos nacionais e regionais e acesso à revista Docomomo_BR (digital) e ao Boletim Doco-Memos.

Filiado Estudante Nacional (R$ 26,00 – vinte e seis reais) Para estudantes de graduação e pós-graduação, com comprovação.
Dá direito a descontos em eventos nacionais e regionais, além de acesso à revista Docomomo_BR (digital) e ao Boletim Doco-Memos.

Conta corrente para depósito ou transferência:
Lúcia Siqueira de Queiroz Varella
CPF 532.836.607-78
Banco Itaú
Agência 6006
Conta Poupança : 25241-2/500
Depois de efetuar o depósito ou transferência, por favor envie o comprovante para tesouraria.docomomobr@gmail.com

Gestão 2020-2021
Renato da Gama-Rosa Costa (Coordenador Geral)
Andrea Lacerda Pessoa Borde (Secretária Executiva)
Lucia Siqueira de Queiroz Varella (Tesoureira)
Andrea da Rosa Sampaio e Helio Herbst (Conselho Fiscal)

PALESTRA EMERSON VIDIGAL/ESTÚDIO 41 NA FAU USP

Palestra Virtual FAU USP no dia 20 de outubro de 2020 às 10h, pelo link abaixo:

https://www.youtube.com/channel/UCLY-6JJqMZSCwG4xlrRZSNA

Estúdio 41 é um escritório de arquitetura criado pela colaboração entre arquitetos formados em Curitiba, interessados no debate dos problemas relacionados à arquitetura e urbanismo. Tem como premissa o trabalho em equipe e o exercício colaborativo da profissão, entendendo essa estratégia de atuação como o principal meio de se alcançar qualidade no projeto de edifícios e espaços livres.

Principais premiações:

Estação Antastica Comandante Ferraz. Projeto vencedor em Concurso de Arquitetura, 2013, inagurado 2020.

Edifício Sede de Fecomércio/Sesc/Senac RS, Porto Alegre. Projeto vencedor em Concurso de Arquitetura, 2013. Em construção.

Masterplan para a Orla do Lago Paranoá, Brasília. Projeto vencedor em Concurso de Arquitetura, 2018.

Quilombola do Gurugi, Conde, PB. Projeto vencedor de Concurso de Arquitetura, 2019.

Operação Urbana Consorciada da Água Branca – Subsetor A1, São Paulo. Projeto vencedor em Concurso de Arquitetura, 2015.

Emerson Vidigal é arquiteto e urbanista pela UFPR – Universidade Federal do Paraná em 1997, Doutor em Arquitetura pela FAU USP em 2010, professor de Projeto na UFPR desde 2006. Atua no Estúdio 41 desde sua fundação 2007.

JEAN-LOUIS COHEN: PALESTRA NA FAU USP

JEAN-LOUIS COHEN NA FAU USP | LINK PARA YOUTUBE

A palestra será dia 19 de outubro de 2020, segunda-feira, às 9h.

JEAN-LOUIS COHEN (n. 1949), arquiteto francês, historiador da arquitetura e urbanismo modernos, é professor da New York University Institute of Fine Arts.

Aprofundou estudos sobre as metrópoles europeias, como Berlim, Paris, Moscou, Nova York entre outras, estabelecendo interrelações políticas, sociais, arquitetônicas e urbanísticas, registradas em publicações e curadorias em instituições como o Canadian Centre of Architecture, Institut Français D’Architecture de Paris, Centre Georges Pompidou, Pushkim Museum of Art de Moscou, Moderna Museet de Estocolmo, Deutsches Architekturmuseum de Frankfurt, entre outros espaços.

Dentre seus inúmeros livros, O Futuro da Arquitetura desde 1889, publicado em 2012 (com tradução brasileira de 2013) será o tema da palestra promovida pela FAU USP: sobre sua motivação, seus objetivos, a recepção da obra nos meios especializados, a ressonância e uma avaliação após oito anos desde seu lançamento.

São debatedores convidados o Prof. Carlos Eduardo Comas (FA-UFRGS), a Profª Sylvia Ficher (FAU-UnB) e Prof. José Lira (FAU USP).

PALESTRA LAURENT TROOST | FAU USP | ARQUITETURA BRASILEIRA RECENTE

Laurent Troost se formou em Arquitetura e Urbanismo pelo ISAIVH de Bruxelas, na Bélgica (2001), e vive no Brasil desde 2008. Tem pós-graduação em Geografia e Cidades pela Escola da Cidade, São Paulo (2011). Após ter colaborado com o Office for Metropolitan Architecture de Rem Koolhaas e o Studio Arthur Casas, entre outros, tornou-se em 2013, e exerce até o momento a posição de Diretor de Planejamento Urbano da Prefeitura de Manaus. Em paralelo, é autor de projetos premiados, como a Casa Campinarana, que ganhou o Dezeen Award 2019 e o edifício Manga, finalista do Prêmio Akzonobel Tomie Othake 2020.

A palestra virtual acontecerá no dia 06 de outubro, às 10h, pelo link abaixo:

https://www.youtube.com/channel/UCLY-6JJqMZSCwG4xlrRZSNA

Carta Alterações no CONPRESP

Aos Exmos.
Sr. Bruno Covas – Prefeito de São Paulo
Sr. Hugo Possolo – Secretário Municipal de Cultura
Prezados Senhores,
Ref. Portaria PREF nº 998/2020 e Convocação da 711º Reunião do CONPRESP
O Núcleo Docomomo São Paulo, em cumprimento à sua missão de zelar pelo
patrimônio arquitetônico, urbanístico e paisagístico do Movimento Moderno, vem por meio desta manifestar sua preocupação com a abrupta e recente substituição da quase totalidade dos Conselheiros representantes do Poder Público Municipal no Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (CONPRESP), por meio da designação de novos Conselheiros, formalizada na Portaria PREF nº 998, de 25 de setembro de 2020.
Embora não seja apresentada na referida portaria justificativa que embase uma
decisão desse porte e gravidade – a troca, quase integral. dos representantes da
Municipalidade no CONPRESP anteriormente designados pelo Exmo. Sr. Prefeito –, parece ao Núcleo Docomomo São Paulo que referida decisão relaciona-se à medida liminar concedida no último dia 04 de setembro nos autos da Ação Popular nº 1036955-53.2020.8.26.0053, em trâmite perante a 13ª Vara da Fazenda Pública. Esse entendimento do Docomomo SP decorre dos termos do recente ato do Exmo. Sr. Secretário Municipal de Cultura de “Convocação para a 718º Reunião Extraordinária do CONPRESP”, que foi editado, como se lê do documento convocatório, “com base na concessão de tutela provisória e acolhendo o pedido da Ação Popular referente a anulação da 711º Reunião Ordinária do CONPRESP realizada em 1º de junho de 2020 e invalidação dos atos ali praticados.”
Na referida ação popular – promovida por um autor popular que se qualifica como
“empresário” e “jornalista” e que diz ter, curiosamente, “como uma de suas responsabilidades acompanhar as atas de reuniões de diversos órgãos municipais” –, discute-se a nulidade da 711ª Reunião Ordinária do CONPRESP por um alegado vício de formalidade na publicação do agendamento da reunião (publicação no Diário Oficial com 5 dias de antecedência e não com 7 dias). A medida liminar, conforme consta do processo judicial, foi concedida para o fim de suspender os efeitos da referida reunião.
O Núcleo Docomomo São Paulo não adentrará nas questões que se encontram
submetidas à Justiça sobre os alegados vícios de formalidade, externando, apenas, em relação à matéria jurídica, o seu total estranhamento em relação à menção constante do documento da convocação realizada pelo Exmo. Sr. Secretário Municipal de Cultura de que estaria “acolhendo o pedido da Ação Popular […] e invalidação dos atos ali praticados”, uma vez que:
a) a liminar é, processualmente, uma medida provisória e não definitiva, e comporta
inclusive recurso desta Municipalidade, por meio de sua Secretaria de Cultura; e
b) a decisão judicial, justamente por ser provisória, apenas suspendeu os efeitos dos
atos praticados – e não declarou a nulidade ou invalidade dos atos praticados, o que
somente poderá ocorrer na decisão final da ação.
De qualquer forma, o fato é que a discussão judicial (provisória e recorrível, repita-se), envolvendo exclusivamente questão formal, NÃO OBRIGA OU RESULTA destituição da totalidade dos representantes do Poder Público no CONPRESP, anteriormente designados pelo Exmo. Sr. Prefeito, bastando apenas que sejam realizados novo agendamento, publicação e reunião do CONPRESP, para convalidação dos atos praticados na 711ª Reunião Ordinária do Conselho, que contou com a participação do Exmo. Sr. Secretário Municipal da Cultura, dos
titulares e suplentes, e transcorreu com toda lisura.
O Núcleo Docomomo São Paulo manifesta assim a sua enorme preocupação com a
condução do assunto, tendo em vista que a destituição dos Conselheiros anteriormente designados – fato inédito que não encontra precedentes na história do CONPRESP – foi realizada sem que existam razões jurídicas ou administrativas que justifiquem o ato, o que é de enorme gravidade. Externa o Núcleo Docomomo São Paulo ainda o seu total estranhamento com o fato de que os novos conselheiros designados na Portaria PREF nº 998/2020 são majoritariamente profissionais da área jurídica, sem envolvimento técnico com as questões da preservação, o
que implica abrupta e profunda modificação na composição municipal do CONPRESP, sem qualquer oportunidade de debate público e envolvimento das instituições que zelam pela preservação do patrimônio cultural da cidade.
Considerando:
(a) a inexistência de ordem judicial que justifique a intervenção no CONPRESP
resultante da Portaria nº 988/2020 e também da subsequente convocação do Exmo.
Sr. Secretário Municipal da Cultura para uma reunião de posse dos novos conselheiros e eleição de novo(a) Presidente e vice;
(b) a ameaça de esvaziamento da representatividade técnica do CONPRESP e as
graves consequências daí advindas para o patrimônio arquitetônico, urbanístico e
paisagístico de São Paulo;
(c) a expectativa do comprometimento de V.Exas. com as políticas públicas de defesa
do patrimônio cultural da cidade, o Núcleo Docomomo São Paulo confia em que V.Exas. reconsiderarão a Portaria nº 988/2020 e os termos do documento de convocação acima referido, mantendo os Conselheiros anteriormente designados e adotando medidas exclusivamente formais de convalidação dos atos praticados na 711ª Reunião Ordinária do CONPRESP.

Atenciosamente,
Núcleo Docomomo São Paulo
Prof. Dr. Fernando Guillermo Vázquez Ramos – Coordenador
São Paulo, 28 de setembro de 2019

PALESTRA O NORTE | FAU USP | ARQUITETURA BRASILEIRA EM DEBATE

A Palestra O Norte acontecerá virtualmente no dia 29 de setembro de 2020, ás 10h pelo link: https://www.youtube.com/channel/UCLY-6JJqMZSCwG4xlrRZSNA

O Norte –  Oficina de Criação é um centro de produção de arquitetura, desing, artes visuais e projetos culturais fundado em 1998 pelos arquitetos Bruno Lima, Chico Rocha e Lula Marcondes. O nome O Norte, além de ser a indicação da direção fundamental na de arquitetura, é uma homenagem a uma trajetória engajada de um grupo de intelectuais que criaram a Revista do Norte, publicação que era produzida nas nossas dependências e que se destacou por ter sido o primeiro periódico sobre arte e cultura do Norte-Nordeste. Editadade forma colaborativa entre 1923 e 1952, a revista deu voz ao movimento regionalista e contou a participação de: José Maria Carneiro de Albuquerque, GIlberto Freyre, Joaquim Cardoso, Ascenso Ferreira, os pintores Manoel Bandeira e Vicente do Rêgo Monteiro, entre outros.

O Norte mantém o espírito colaborativo em seus processos e atua em proximidade de grupos artísticos, culturais e sociais como a Associação do Povo Indígena Xukuru do Ororubá, o Maracatu de Baque Solto Leão Africano. Compartilha espaço e ações com os coletivos AtelieVivo, Massapê  e Vendaval Catalisadora de Impacto Social.

-Participou a exposição Brasil: Otras Arquitecturas na 17ª Bienal Internacional de Arquitecturas de Buenos Aires (2019);

-Participou da 11ª Bienal de Arquitetura de São Paulo com um projeto do coletivo AtelierVivo sobre a experiência do Workshop de Desing-Build na comunidade de Santo Amaro, Recife/PE;

-Particiou da exposição Juntos que representou o Brasil na 15ª Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza (2016), com o projeto Escola Novo Mangue;

-Premiado na categoria residência unifamiliar no Prêmio IAB/PE (2009), com a residência no Derby;

-Premiado no “Jovens Arquitetos 2004”, organizado pelo IAB/SP e Museu da Casa Brasileira, com a residência Derby;

-Vencedor do concurso organizado pelo UNICEF, ONG Umbu Ganzá e Prefeitura do Recife para o projeto de arquitetura da Escola Novo Mangue (2002).

Bruno Lima

É arquiteto e urbanista pela UFPE (1997). Mestre (2013) e doutorando do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Urbano  (MDU/UFPE). É professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo/UFPE.

Chico Rocha

É arquiteto e urbanista pela UFPE (1998). Mestre (2016) pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFRN (PPGAU/CT-UFRN). É professor do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA).

Lula Marcondes

É arquiteto e urbanista pela UFPE (1997). Mestre (2007) pela Universidade do Texas (UT). É professor do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP).

Carta de Repúdio – Destruição do painel de azulejos do edifício da Reitoria da UFPB

 

Destruição do painel de azulejos do edifício da Reitoria da UFPB

Carta de Repúdio

O Departamento de Arquitetura e Urbanismo [DAU UFPB], o Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo [PPGAU UFPB], juntamente com o Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento da Paraíba [IAB PB] e o Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Paraíba [CAU PB]  , vêm a público repudiar, veementemente, os fatos desastrosos ocorridos no Campus I da Universidade Federal da Paraíba.

Nas últimas semanas, a Superintendência de Infraestrutura [SEINFRA UFPB], responsável pelo planejamento e execução das obras na Cidade Universitária, destruiu um valioso mural de azulejos no prédio da Reitoria. Trata-se da destruição de um elemento que é parte indissociável da concepção do edifício, projetado originalmente para abrigar a Biblioteca da UFPB, em 1968, pelo arquiteto e urbanista Acácio Gil Borsoi, expoente nacional do Movimento Moderno na arquitetura brasileira.

Os procedimentos adotados pela Superintendência de Infraestrutura [SEINFRA UFPB], ignoram o zelo e o rigor com que o patrimônio construído, e todas as atividade relacionadas com a concepção, projeto e produção em arquitetura e urbanismo, são tratadas no âmbito do ensino e pesquisa da própria instituição. Esta destruição revela, em um gesto que tem sido recorrente, a ignorância e incapacidade de domínio dos aspectos básicos e conceituais que devem nortear uma intervenção arquitetônica; ignora a história, a tecnologia, a racionalidade e a própria prática deontológica; trata-se de uma atuação vandálica contra a primeira geração de edifícios da História da UFPB.

Nosso patrimônio arquitetônico moderno vem sendo destruído de forma recorrente na Cidade Universitária. Atualmente a SEINFRA, após aplicar sucessivas camadas de tinta verde no prédio da Diretoria do Centro de Tecnologia – principal edifício do primeiro conjunto arquitetônico da UFPB – assenta cerâmica sobre o concreto aparente, elemento marcante de nossa Arquitetura Moderna. Trata-se de uma prova da falta de domínio e conhecimento, por parte da Superintendência de Infraestrutura [SEINFRA UFPB], nas áreas da Engenharia e Arquitetura. Demonstra a dissociação, esquizofrênica, entre a competência da instituição no ensino e pesquisa e a incompetência dos setores de gestão, da própria instituição, em praticarem estes ensinamentos.  Sendo a Universidade o lugar do saber e da formação da sociedade, plena de intelectuais e pensadores, reduto de guardiões da memória, esses acontecimentos geram um sentimento de imensa frustração; afinal, a destruição é promovida por um órgão desta mesma Universidade.

No contexto mais amplo, o gesto de destruição do painel de azulejos da Reitoria, reflete a situação lamentável por que passa a Cultura em nosso país. O Patrimônio Cultural é memória de um povo e a essência do nosso ser; destruindo esse Patrimônio, as bases da nossa existência são corrompidas.

Esses fatos voltam a evidenciar a necessidade urgente de que a UFPB construa um Plano Diretor e que o mesmo, como resultado de sua forma de pensar, constitua as diretrizes de sua forma de fazer.

 

João Pessoa, setembro de 2020

Departamento de Arquitetura e Urbanismo [DAU UFPB]

Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo [PPGAU UFPB]

Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento da Paraíba [IAB PB]

Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Paraíba [CAU PB]

 

FAU Encontros – Por trás dos véus da Arquitetura Tropical Moderna

Enquanto a ortodoxia consolidava seu domínio sobre a arquitetura moderna na década de 1930, novas ideias das margens começaram a ampliar e questionar seu vocabulário limitador. Esta palestra trata da atuação de neozelandeses, ingleses, franceses, tchecos, birmaneses, em projetos na Índia, Argélia, Birmânia, Singapura, que se materializaram antes do final daquela década, paralelos ao trabalho muito divulgado de Le Corbusier e da arquitetura moderna de _Brazil Builds_, no desenvolvimento de propostas para domesticar o sol em climas quentes. A narrativa se concentra em um discurso esquecido, proferido em Rangoon, Birmânia, que se entusiasmou com um método de controle solar eficaz que logo foi esquecido, despertando ao mesmo tempo um desejo de que a arquitetura ampliasse a sua ambição por criar e celebrar atributos de identidade nacional.

, pelo Professor Pedro Guedes e direcionada pelo Professor Hugo Segawa, transmitida pela FAU-USP, irá ocorrer hoje às 9am, horário de São Paulo (13:00 Lisbon time & 20:00 Beijing time).

Arquiteto português e diplomado em Cambridge, Pedro Guedes atuou em Londres como associado ao escritório Pentagram, lecionou na Architectural Association e no Royal College of Art. É Senior Lecturer na University of Queensland, Austrália. Entre seus temas de pesquisa estão Arquiteturas Coloniais, Infraestruturas Globais de Conectividade, Transformação de Ideias em Artefatos, Ideias e suas Representações.

 

7º Seminário Docomomo SP: A Difusão da Arquitetura Moderna 1930.1980

O Núcleo Docomomo São Paulo e o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo da Universidade São Judas Tadeu (PGAUR/ USJT) convidam para participar do 7º Seminário Docomomo São Paulo:
Este evento dará continuidade às atividades de seminários desenvolvidas pelo Núcleo Docomomo São Paulo, retomadas em 2017, quando foi realizado, na capital, o 5º Seminário Docomomo São Paulo, organizado em colaboração com a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie (FAU-UPM). Aquele seminário foi seguido, em 2018, pelo 6º Seminário Docomomo São Paulo, promovido conjuntamente com o Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAUUSP), no Campus da Universidade de São Paulo, em São Carlos.
Com realização prevista em 2020, o novo seminário se insere, como de praxe, no calendário nacional dos seminários do DOCOMOMO, que prevê a realização do evento nacional em ano ímpar e dos regionais em anos pares. Considerando,
contudo, a situação de pandemia e distanciamento social que nos afeta, os organizadores optaram, desta vez, pelo formato “à distância”, e será
realizado no âmbito da Internet. Será, portanto, o primeiro Seminário Docomomo online, no Brasil.
Ainda assim, como nos outros eventos do DOCOMOMO, o 7º Seminário Docomomo
São Paulo prevê a realização de palestras, mesas de debates e de apresentação de comunicações sobre assuntos de relevância para a salvaguarda do patrimônio cultural do movimento moderno no Brasil. À diferença dos anteriores, na sua versão digital não poderá acontecer o famoso MomoTour, que desta vez será substituído por oficinas culturais direcionadas aos participantes, especialmente aos alunos dos cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo. Esperamos a participação de especialistas, brasileiros e internacionais, que se sucederão em diferentes horários e em diferentes atividades, durante uma semana de trabalho dedicada à salvaguarda do importante patrimônio moderno paulista e brasileiro. As palestras, mesas de debates, apresentação de comunicações, e oficinas culturais serão transmitidas ao vivo, em diferentes formatos digitais, entre os dias 09 e 14 de novembro de 2020.

NO 7º DOCOMOMO SÃO PAULO
ACONTECERÃO:
PALESTRAS, sobre temas pontuais de importância para a divulgação do conhecimento acerca do patrimônio cultural moderno, com participação de convidados nacionais e internacionais.
MESAS DE DEBATES, sobre assuntos de relevância para a temática do evento, com a participação de colegas convidados que atuam em diferentes áreas da salvaguarda do patrimônio cultural moderno.
MESAS DE COMUNICAÇÕES, nas quais os pesquisadores poderão apresentar, e debater com seus pares, os pontos mais relevantes das atuais pesquisas sobre a Área.
OFICINAS CULTURAIS, especialmente programadas para realizar atividades com estudantes e professores interessados no desenvolvimento de uma prática e de um debate sobre temas específicos relacionados com a salvaguarda do patrimônio
moderno no estado de São Paulo.
ASSEMBLEIA GERAL DO NÚCLEO
DOCOMOMO SÃO PAULO, em que será apresentado o balanço da atual gestão, que finaliza suas atividades em dezembro de 2020. Na assembleia, após apresentação das propostas para formação de nova equipe de coordenação, serão submetidos à
votação os nomes de um(a) novo(a) coordenador(a) e um novo(a) vice coordenador(a), assim como do corpo do secretariado, equipe que deverá dirigir os trabalhos e ações do Núcleo Docomomo São Paulo durante o biênio 2021-2022.
Com a finalidade de permitir a participação do público em todas as atividades desenvolvidas durante o seminário, não haverá superposição de horários
entre elas. Também, atendendo à ampla divulgação das pesquisas, dos debates, das apresentações e das oficinas culturais que acontecerão durante o seminário,
todas as atividades do evento serão disponibilizadas online para o público em geral através dos canais pertinentes (sítio do Núcleo Docomomo São Paulo, Youtube etc.).

Organizadores: Núcleo Docomomo São Paulo

Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Arquitetura e Urbanismo / Universidade São Judas Tadeu.

Data: 09 a 14 de novembro de 2020.

Local: evento online

Site: https://www.nucleodocomomosp.com.br/

Instagram: docomomo.sp 

Facebook: Núcleo Docomomo-SP

Informações, através do e-mail: nucleo.docomomo.sp@gmail.com

Traffic Seeks Another Way 2nd Conference

Discussão Pública Internacional de Docomomo #02-′′ O tráfego procura outra maneira.”
Para uma série de discussão ′′ Modernism is Frozen”.
Após a primeira discussão ′′ Como é que se mapeia o modernismo sub / depois do COVID-19 “, que contou com a participação do Dr. Takayuki Suzuki, Dr. Ana Tostões, Dra. Shin Muramatsu e Dr. Yoshiyuki Yamana, a segunda sessão de ′′ Is Modernism Frozen?” vai acontecer no dia 24 de agosto de 2020 com o tema ′′ O tráfego procura outra maneira”.

Moderador
Takayuki Suzuki (Japão, China)

Painelistas
Nova Iorque: Theodore Prudon (Estados Unidos)
Brazil: André Luiz de Souza Castro (Brazil)
Japão: Kengo Hayashi (Japão)

Tópicos: Discussão Pública Internacional Docomomo #02
Data e Horário: 24 de agosto 2020, 10 PM Japão / 9 AM Nova Iorque / 10 AM Brasília / 2 PM GMT

LUGAR DE DISCUSSÃO: ZOOM
URL: https://zoom.us/j/98984906449?pwd=V0x6dlVnVEpET3A4bEV3azF0QW5CZz09
ID da reunião: 8490 989 6449
Cordão de passe: 282661
Como usar o Zoom: https://zoom.us/jp-jp/meetings.html
Língua: Inglês
Reservas não são necessárias, qualquer um pode ajudar.
A discussão anterior está disponível online em: shorturl.at/ahu17
Para saber mais informações, vá à página do Facebook do Modernismo is Frozen: shorturl.at/dkrZ7