2019 APT Conference – Miami

 

 

 

 

 

The Association for Preservation Technology – 2019 APT Conference – Miami US – submissão de trabalhos até 4 de março

Welcome!
Located between the Everglades swamp and the Atlantic Ocean, the dynamic port city of Miami is the setting for the 2019 APT Conference.

Join us in this uniquely subtropical and diverse locale where Spanish, French and Portuguese language is as prevalent as English. Engaging sessions, workshops and a symposium will delve into the most pressing issues affecting 21st century preservation and conservation.

2019 Conference Themes Include:
• Effects of Climate Change in Warm Weather Coastal Regions
• Sustainability and Conservation of Built Heritage in the Americas
• Conservation of modern and post-modern heritage
• Diversity, Population Change, and Gentrification in the Preservation Dialogue

Conference Tracks

Track 1: Effects of Climate Change in Warm Weather Coastal Regions
Efectos del cambio climático en regiones costeras con clima caliente…
Efeitos das mudanças climáticas nas regiões costeiras de clima quente…
Efè de chanjman nan klima nan rejyon cho kot Weather…
Effets du changement climatique dans les régions côtières par temps chaud

Many coastlines throughout the world are densely populated. In North America over 25 million people live in areas vulnerable to coastal flooding. Coastal areas are home to species and habitats that provide many benefits to society and natural ecosystems. Coastal and ocean activities, such as marine transportation of goods, offshore energy drilling, resource extraction, fish cultivation, recreation, and tourism, are integral to the nation’s economy, generating approximately 25 percent of the national gross domestic product (GDP)—but in many cases threaten natural and cultural resources. However, there are many threats to heritage places in coastal settings. This conference theme will examine how climate change affects coastal areas, including built heritage, in a variety of ways. Coasts are sensitive to effects of climate change including sea level rise, changes in the frequency and intensity of storms, increases in precipitation, and warmer ocean temperatures. In addition, rising atmospheric concentrations of carbon dioxide are causing the oceans to absorb more of the gas and become more acidic. This rising acidity can have significant impacts on the delicate coastal and marine ecosystems and seaside historic structures.

Subthemes:

Projections of climate change: Assessing vulnerabilities and building resiliency in coastal areas affected by climate change. This subtheme will discuss current challenges affecting built heritage and infrastructure, including shoreline erosion, coastal flooding, and water pollution. Papers will examine solutions and impacts that must be weighed to safeguard heritage across the Gulf Region, the Americas, and worldwide.

Adaptation planning for sustainability in historic coastal communities: This subtheme will examine adaptation planning schemes in the sustainability of historic coastal communities, including the role of public agencies in developing mitigation and adaptation plans for coastal cities. Case studies will examine lessons learned from implementation and monitoring of successful planning schemes.

Education and training for the next generation of preservation professionals: Education and training programs internationally are integrating climate change into the stewardship of cultural heritage. This subtheme will solicit presentations that illustrate education programs and plans that provide communities with an understanding of policies, programs, and other actions that improve cultural heritage’s resilience to natural disasters such as high winds, floods, storms, fires, earthquakes and projected climate change.

Cultural heritage maintenance and climate change: Maintenance is the first and ongoing line of defense in protecting cultural heritage from the effects of climate change and natural disasters. This subtheme will explore the use of documentation to ensure a baseline measurement against which to monitor changes, and how maintenance and documentation can aid in efforts for risk preparedness. Papers will focus on methods that have been successful and how we can encourage greater disaster preparedness, and preparation of tailored responses to avoid further damage to cultural resources.

Track 2: Sustainability and Conservation of Built Heritage in the Americas
Sosteniendo el patrimonio en las americas…
Sustentando a herança nas américas…
Ankouraje eritaj nan Amerik yo…
Durabilité et conservation du patrimoine bâti dans les Amériques

Sustainable development in the Americas and across the world —identifying and meeting different present-day needs by using the resources already available, so as not to compromise the resources of future generations—has important implications for future environmental, economic, and social well-being. Practitioners must address the need to balance preservation of historic places and ancient living sites, while recognizing the significant relationship between conservation and development, tourism, and sustainability. There remain potentially irreconcilable differences between environmental goals and heritage conservation. This conference theme will feature case studies that demonstrate how new uses for historic buildings develop and incorporate new rehabilitation programs such as retrofits to improve energy efficiency, and how significant alterations and loss of fabric can be avoided. Participants will demonstrate how maintaining the integrity of sites can be achieved while meeting current code requirements. Practitioners will address the increasing challenges of sustainable development and how the field of preservation has demonstrated the vital role it must play in conserving and sustaining local communities, local identity, and traditions across the Americas.

Subthemes:

Building resiliency in pre-colonial, maritime, and post-colonial heritage sites affected by climate change. Heritage conservation’s role in meeting the aims of environmental sustainability and resiliency is critical. In this subtheme, case studies will examine how assessing and identifying vulnerabilities in pre-colonial, maritime, and post-colonial heritage are critical to their long-term protection and adaptation. Papers will consider the specific measures that can be used to make pre-colonial, maritime and post-colonial heritage structures more resilient to increasingly destructive forces due to climate change and cyclical weather events, and how conservation treatment plans can help sustain these heritage assets in the future.

Conservation management planning strategies and building resiliency for colonial historic centers: Urban towns and local communities are subject to risk from singular events such as fires, storms, earthquakes, flooding, and intentional attack, and ongoing degradation from environmental factors, population growth, traffic, and increased heritage tourism. This subtheme will consider successful strategies for mitigating degradation to sites and places through management tools, planning, and successful protocols to absorb and recover from the effects of adverse events.

Stewardship of pre-colonial indigenous sites across the Americas: This subtheme will examine best practice examples of stewardship of pre-colonial indigenous sites across the Americas. Topics will include consensus-building with local native populations, conservation and preservation plans, and stewardship solutions for historic buildings for traditionally underrepresented Native American populations. Types of conditions currently impacting indigenous sites will be reviewed, including challenges and solutions for mitigation.

Materiality, craftsmanship, and conservation of vernacular buildings in the Caribbean and Americas: This subtheme will examine the types of material deterioration and decay mechanisms associated with vernacular architecture and places similar to the Americas. Papers will address extreme environments and exposures (e.g. hot and humid climates), fragile materials, and building techniques specific to the Western Hemisphere. For example, this subtheme will examine various types of materials, craftsmanship, and conservation treatments used in the historical constructions of various typologies of buildings and places across the Caribbean, the Americas, and other places throughout the world – including their unique character as related to inherent values attained over time. Sessions will include discussion of the types of conservation strategies utilized to protect unique fabric in special geographic locations.

Track 3: Conservation of Modern Heritage across the Americas
La conservación del patrimonio moderno en las Américas
Conservação do patrimônio moderno nas Américas
Konsèvasyon nan Eritaj modèn atravè Amerik yo
Le conservation du patrimoine moderne à travers les Amériques

Latin American modernism is significant as a uniquely elegant adaptation and interpretation of the International Style. With the support and patronage of governmental entities in many countries, Latin American modernism literally adapted a more European style modernism that could be acclimatized to tropical locales. The result is an impressive and eclectic architectural and landscape portfolio of the period from the 1940s through the 1970s that reflects the political and social zeitgeist of the region. This theme will focus on how modernism was adapted to a variety of environments to survive over time in the Americas. This theme will also discuss how modernism in the Americas was shaped by unique fabrication methods and technologies that responded and adapted to specific environments. Sessions will focus on challenges of conservation of materiality, retention of original technologies, craftsmanship and changing use over time. What are the vulnerabilities in the long term protection of modern heritage? How do we balance retention of material authenticity while sustaining these places in the future?

Subthemes:

Climate change impacts and sustainability of modern heritage: This subtheme will explore resiliency in modern and contemporary buildings, places, and sites, and examine how modern heritage assets can be protected in the face of climate change. Environmental vulnerabilities and accompanying modifications, including structural retrofitting will be specifically explored as they pertain to twentieth century buildings.

Modern Urban Plazas, Monuments, and Public Spaces: Modern urban public spaces are characterized by deliberate placemaking that often combine landscape design and public art. In this subtheme, case studies will examine conservation treatments that address resiliency issues of materiality. Papers will also address the special conservation needs of art associated with architecture. Types of urban public spaces and monuments that may be considered, Governmental complexes, Twentieth century art in modern public plazas, Public art, plazas, and college and university campuses. Papers will also address materiality of public sculpture, including conservation of materials and finishes used in public and monumental spaces.

Concrete and Brutalism: Despite the abundance and richness of twentieth century large scale concrete structures such as stadiums and arenas, much of brutalist architecture across the Americas, (including in Miami), remains at risk. This session will take an in-depth look at brutalist and uncoated concrete structures across the Americas, including concrete heritage less than fifty years old: what remain the challenges and strategies for historic designation? Additional topics to this subtheme include global concrete heritage – structural and materials approaches for conservation, and challenges in conserving concrete in humid and coastal climates.

Ordinary Everyday Modernism (OEM) in Miami, the Caribbean and the Americas. Many buildings, sites and places of the postwar era remain a miracle of simplicity and ordinary materials beautifully employed and worthy of preservation. In this subtheme, an examination of the Ordinary Everyday Modernism (OEM) will be afforded. Additional topics for consideration may include the protection of OEM neighborhoods and challenges in the designation of historic districts.

Postwar decorative finishes in the Caribbean and the Americas: Postwar buildings in the Caribbean and Central and South America are known for a preponderance of decorative finishes and techniques that distinctly characterize them as different from many European and North American styles. Topics for consideration will include conservation treatments of murals, mosaics, terrazzo, pebble finishes, tile cladding, and unique uses of ordinary brick and wood. This subtheme will also examine ways in which these elements and materials are subject to distinct types of deterioration due to their locations, and how problems can be addressed.

Track 4: Diversity, Population Change, and Gentrification in the Preservation Dialogue
Diversidad, cambio poblacional y gentrificación en el diálogo de preservación
Diversidade, Mudança de População e Gentrificação no Diálogo de Preservação
Divèsite, Chanjman Popilasyon, ak Gentrification nan Dyalòg Prezèvasyon
Les impacts de la diversité, l’évolution démographique et la gentrification sur le discours de préservation

There is an inherent social dimension across all preservation-oriented disciplines and understanding preservation’s impacts on communities is an emerging and compelling area of research. This conference theme will examine values-based preservation approaches, underrepresented and marginalized histories, public dialogue and engagement, social impacts of heritage work, policy development, and emerging methods for socially inclusive practice.

Subthemes:

Social and economic impacts of preservation: How is preservation being used as a tool for fostering social inclusion, neighborhood affordability, cultural learning, creative expression, and community organizing? What are the outcomes of preservation policy and practice on communities? In asking these questions, this subtheme examines preservation within larger urban policy discussions around gentrification, equity, and justice. Submissions are encouraged from within preservation practice as well as allied disciplines.

Participation and public engagement: An examination of the processes of preservation, including who is participating, how preservationists engage with stakeholders, and what values determine preservation decisions, particularly within the context of urban population changes.

Architectural and historical underrepresentation: What types of buildings and places are underrepresented in preservation (i.e., modern housing, graffiti and street art; vernacular architecture; and styles significant for their social context). This subtheme seeks to elicit new narratives and new knowledge around places of significance. Preservation as an exclusionary or inclusionary tactic and the social impacts of preservation will be considered.

Miami and Caribbean case studies: In defining a narrow geographical focus, this subtheme provides a space where the other subthemes can be examined within the geographical and social contexts of Miami and the Caribbean. A primary goal is to allow for comparison, collaboration, and capacity-building across the region.

Mais informações em: http://www.apti.org/index.php?src=gendocs&ref=Home_Annual&link=Home_Annual&fbclid=IwAR2vDLFmzc_hnxe5D27mvQy1yIVYAS_CEsU7GznORHyMlSmmTtANo568IUY

Ampliação de prazo: VI Seminário Docomomo Chile – Valdívia

Atenção:

O prazo de submissão de resumos para o VI Seminário Docomomo Chile – Valdívia foi ampliado para o dia 25 de junho de 2018.

Lembrando os prazos:
10 de julho – Notificação de trabalhos aceitos
01 de setembro – Encaminhamento de trabalhos finais

Maiores informações: docomomo_valdivia_2018@gmail.com
Att, Coordenação Docomomo Brasil

Chegou o ISSN da revista DOCOMOMO BRASIL

A revista DOCOMOMO BRASIL tem a satisfação de divulgar o recebimento do número do ISSN: 2594-8601. Cabe lembrar que a submissão de artigos é de fluxo contínuo e de temática livre, sempre tendo em conta a política editorial da revista. Para maiores informações, consultar http://revista.docomomo.org.br/

Nota de Falecimento – Frank Svensson (1934-2018)

Sede da RFFSA (Rede Ferroviária Federal S.A.) em Recife – arquitetos Marcos Domingues e Frank Svensson. Foto: Lucas Jordano Barbosa, publicada em Flickr

Por IAB-DF

Frank Svensson, arquiteto graduado em 1962 pela UFMG, trabalhou na SUDENE até 1970, onde foi colega, dentre outros, da saudosa Christina Jucá. Como professor da UnB e importante comunista, foi enquadrado na lei de exceção 477 de 1973. Fora do Brasil por 16 anos, lecionou nas Escolas Superiores de Arquitetura de Estrasburgo e Nancy, e nas Universidades Tecnológicas de Gotemburgo e Lund-Suécia. De 1979 a 1982, assessorou o Ministro da Educação de Angola e o Movimento Popular de Libertação da Angola – MPLA, na formação de arquitetos. Doutor em Filosofia na Suécia (1986), desde 1988 era professor titular de teoria e história da arquitetura e urbanismo, lecionando disciplinas de história da arquitetura e urbanismo da sociedade industrial e de teoria do conhecimentos, na FAU-UnB. O IAB/DF se despede hoje do grande mestre Frank Algot Svensson, que aprofundou em seus alunos “sentimentos ligados aos valores do povo e do país que […] evoluem para uma crescente conscientização do papel dos mesmos no desenvolvimento socioeconômico” e na construção da “perspectiva clara do desenvolvimento histórico da sociedade” em “necessidade inevitável para o arquiteto”. A imprescindibilidade da consciência e do reconhecimento do espaço e tempo como expressão arquitetônica, rompendo a limitação teórica da forma e da alienação social em nome do realismo, formaram raízes profundas de seus ensinamentos.

A densidade de suas palavras, de tom sempre sereno e parcimonioso​, deixarão um imenso espaço, para nossa reflexão e inspiração. Frank Svensson morreu aos 84 anos em Brasília, no dia sete de fevereiro de 2018.

Primeiras Linhas | Nova Gestão

Pavilhão Arthur Neiva, Fiocruz | Foto: Glauber Goncalves

por Helio Herbst

Em assembleia realizada em Uberlândia, durante o 12o Seminário Docomomo Brasil, assumimos, com muita satisfação, o desafio de conduzir a gestão nacional do Docomomo no biênio 2018/2019.

Satisfação e desafio podem resumir o compromisso cotidianamente vivenciado por todos aqueles que se dedicam ao conhecimento de nossa arquitetura moderna, com suas singularidades e interlocuções, fato a ensejar um profícuo [e constante] diálogo com as mais diversas manifestações artísticas, em diversas latitudes.

Os mesmos vocábulos expressam as muitas dificuldades que enfrentamos para documentar e conservar um patrimônio constantemente ameaçado, malgrado todas as ações de denúncia e defesa. Não podemos nos silenciar diante da destruição e descaracterização de nossa memória arquitetônica, urbanística e paisagística.

Somos um pequeno grupo de profissionais, professores e pesquisadores vinculados ao Mestrado Profissional em Preservação e Gestão do Patrimônio Cultural das Ciências e da Saúde da Casa de Oswaldo Cruz – COC/FIOCRUZ, ao Programa de Pós-Graduação em Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro – PROURB/FAU/UFRJ, à Secretaria Municipal de Urbanismo da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – SMUIH/PCRJ e ao Departamento de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – DAU/IT/UFRRJ.

Pretendemos agir sob os mesmos preceitos que nortearam as gestões precedentes e queremos ampliar o debate e o alcance de nossas iniciativas, especialmente por meio de uma maior aproximação com os órgãos patrimoniais, prefeituras e centros de pesquisa, notadamente programas de pós-graduação.

Na página do Facebook serão rotineiramente replicados avisos, informes de cursos, debates, defesas de dissertações e teses, palestras, seminários, exposições e lançamentos de livros; noticiadas ações legais de salvaguarda e ameaças de demolição de edificações, entre outros assuntos.

A página <docomomo.org.br> continuará a abrigar os conteúdos do antigo portal, todas as edições do BOLETIM DOCOMEMOS e da REVISTA DOCOMOMO BRASIL, além dos links de eventos DOCOMOMO em nível regional, nacional e internacional. Futuras edições do BOLETIM DOCOMEMOS também serão divulgadas por e-mail.

A produção e veiculação dos informes, para ser mais ágil e eficiente, depende da colaboração de todos – estudantes, pesquisadores, profissionais e professores. A sua participação, por meio de simples avisos ou resenhas sobre os temas abordados nos DOCOMEMOS será essencial para a difusão de conhecimentos sobre o patrimônio moderno brasileiro.

Cabe por fim lembrar que será reaberta a campanha para FILIAÇÃO 2018. Sua participação será de extrema importância para a continuidade das ações do DOCOMOMO BRASIL e do DOCOMOMO INTERNACIONAL. De quebra, poderá garantir descontos na inscrição de eventos locais e internacionais.

Avante prosseguimos!

Renato da Gama-Rosa Costa, Coordenador
Andrea de Lacerda Pessôa Borde, Secretária Executiva
Maria Helena Röhe Salomon, Tesoureira
Helio Herbst, Conselheiro Fiscal
Inês El-Jaick Andrade, Conselheira Fiscal
Bárbara Cortizo de Aguiar, Colaboradora

Lançamento do número 1 da REVISTA DO.CO.MO.MO BRASIL

 

O comitê executivo do do.co.mo.mo_brasil tem o prazer em comunicar que finalmente está no ar a revista | Docomomo Brasil!

Para ter acesso, clique aqui: revista.docomomo.org.br

A revista | Docomomo Brasil resulta de um desejo coletivo assumido pelos comitês executivos do Docomomo Brasil eleitos para os biênios 2014-2015  e 2016-2017  e registrado formalmente no plano de gestão submetido à apreciação dos membros reunidos na Assembleia Geral do DOCOMOMO Brasil, reunida em Curitiba, em outubro de 2013.

O número 01 chega às mãos do leitor no ano de comemoração dos 25 anos de fundação do DOCOMOMO Brasil. O tempo de 25 anos pode dar falsa impressão de atraso, mas reflete o talvez necessário período de amadurecimento para a consolidação do DOCOMOMO Brasil e o seu reconhecimento como promotor de ações de documentação e conservação das diversas expressões do movimento moderno no território nacional e nas diversas ações empreendidas pelo DOCOMOMO International.

Agradecemos o esforço da comissão editorial: Luiz Amorim (UFPE), Cristiano Borba (FUNDAJ) e Marcio Cotrim (UFPB).
Convidamos os pesquisadores da área para submeterem artigo.

Nota de Falecimento – Gérard Monnier (1935-2017)

O DOCOMOMO Brasil tem o pesar de anunciar o falecimento de Gérard Monnier. Presidente honorário e fundador do DOCOMOMO France (1991), Gérard foi um importante historiador da arquitetura do século XX e professor da University Paris-1 Panthéon-Sorbonne.

Pesquisador de referência no campo da história do Movimento Moderno, Gérard Monnier serviu o DOCOMOMO com comprometimento e é uma grande perda para nossa comunidade.

O funeral está marcado para o dia 29.

Programação completa do 12º Seminário DOCOMOMO Brasil

Começa hoje o 12º seminário DOCOMOMO BRASIL, em Uberlândia, que contará com a presença especial de Kenneth Frampton e de Ana Tostões, presidente do Docomomo Internacional. O 12 Seminário Docomomo Brasil foi organizado pelo Docomomo Minas e pela UFU – Universidade Federal de Uberlândia, FAUED – Faculdade de Arquitetura, Urbanismo e Design, PPGAU – Programa de Pós-Graduação em parceria com o Docomomo Brasil. Durante sua realização deverá ser eleita a nova coordenação do Docomomo Brasil para o biênio 2017 / 2019.

21 DE NOVEMBRO DE 2017

Credenciamento e Inscrições
Local: Auditório Bloco 3Q– a partir das 14 horas

Abertura:
18h30: Sessão de Abertura do Evento
Local: Auditório Bloco 3Q
Universidade Federal de Uberlândia – Campus Santa Mônica

19h30: Conferência de Abertura
Convidado: Kenneth Frampton 
Ware Professor of Architecture
Graduate School of Architecture, Planning, and Preservation
Columbia University, New York-USA
Local: Auditório Bloco 3Q
Universidade Federal de Uberlândia – Campus Santa Mônica
Debatedora: Sylvia Ficher

22 DE NOVEMBRO DE 2017

09 horas: Mesa Redonda 1 – Preservação do Patrimônio da Arquitetura e do Urbanismo Modernos no Brasil: interlocução e atuação dos órgãos de preservação.
Local: Auditório A-B  – Bloco 5R – Campus Santa Mônica

Moderador: Hugo Segawa (FAUUSP)
9h05 – Andrey Rosenthal Schlee (IPHAN/UnB)
9h45 – Michele Abreu Arroyo (IEPHA-MG)

10h25 – 10h40 – Intervalo – COFFEE BREAK

10h40 – José Pessôa (UFF)
11h20 – Flávio Carsalade (UFMG)
12h00 – Debate
12h30 – Encerramento

12h30 – 14h00: INTERVALO PARA ALMOÇO

14h00 – 16h05: Sessões de Comunicações
Auditório A, B, C, – Bloco 5 O – Campus Santa Mônica

16h05 – 16h20 – COFFEE BREAK

16h20 – 18h25: Sessões de Comunicações
Auditório A, B, C – Bloco 5 O – Campus Santa Mônica

A partir das 18h30 – Lanche

19h00: VISITA À EXPOSIÇÃO: Arquitetura Moderna na América Latina – Do LAMA ao Caos –  Leonardo Finotti 

19h30 – Mesa Redonda 2: Difusão da Arquitetura Moderna na América Latina
Local: MUnA – Museu Universitário
Praça Cícero Macedo, 309 – Fundinho, Uberlândia

Moderador: Fernando Luiz Camargos Lara (UFMG)
19h40 – Carlos Eduardo Dias Comas (UFRGS)
20h15 – Carlos Alberto Ferreira Martins (IAU-USP)
20h50 – Leonardo Finotti – Michelle Jean de Castro (LAMA-SP)
21h20 – Debate
22h00 – Encerramento

23 DE NOVEMBRO DE 2017

09h00 – Mesa Redonda 3: Restauro e Conservação: intervenção e enfrentamento das patologias técnico-construtivas contemporâneas – Programa “Keeping it Modern” no Brasil (Getty Foundation)
Local: Auditório Auditório A – B – Bloco 5R – Campus Santa Mônica

Moderador: Fernando Diniz
9h05 – Renato Gama-Rosa Costa (FIOCRUZ). Pavilhão Arthur Neiva – Rio de Janeiro, Brasil | Jorge Fereira
9h45 – Maria Lúcia Bressan Pinheiro (FAUUSP). Edifício da FAU USP – São Paulo, Brasil | Vilanova Artigas

10h25 – 10h40 – Intervalo – COFFEE BREAK

10h40 – Renato Luiz Sobral Anelli /Ana Lúcia Cerávolo (Instituto Lina e P. M. Bardi – IAU-USP). Casa de Vidro – São Paulo, Brasil | Lina Bo Bardi
11h20 – Silvio Oksman (Associação Escola da Cidade) – Museu de Arte de São Paulo – MASP – São Paulo, Brasil | Lina Bo Bardi
12h00 – Debate
12h30 – Encerramento

12h30 – 14h00: INTERVALO PARA ALMOÇO

14h00 – 16h05: Sessões de Comunicações:
Auditório A, B, C, D – Bloco 5 O – Campus Santa Mônica

16h05 – 16h20 – COFFEE BREAK

16h20 – 18h30 – MOMO-TOUR

16h20: Assembleia do DOCOMOMO Brasil
Local: Auditório A – B  Bloco 5R – Campus Santa Mônica

Pauta:
– relatório da Coordenação Nacional 2016/2017 (novo site, retomada do Docomemos, revista | docomomo_br , Virtual Exhibition  –  DOCOMOMO Internacional)
– eleição gestão 2017 – 2019
– lançamento da revista | docomomo_br

A partir 18h30 – Lanche 
19h00: Mesa Redonda 4: Livros de Arquitetura e Urbanismo Modernos
 – Lançamento de Livros
Local: Igreja Espirito Santo do Cerrado – Arquiteta Lina Bo Bardi e Colaboradores Marcelo Ferraz e André Vainer

Moderador: Danilo Matoso (Docomomo UnB/ Câmara dos Deputados)
19h15 – Ana Esteban Maluenda (Universidad Politécnica de Madrid, Espanha)
19h55 – Abílio Guerra (Romano Guerra Editora – Portal Vitruvius)
20h25 – Fernando Luiz Camargos Lara (UFMG)
20h55 – Debate
21h25 –  22h00 – lançamento de livros

24 DE NOVEMBRO DE 2017

09h00: Mesa Redonda 5: Patrimônio do Movimento Moderno e interlocução com a sociedade: gestão, adaptações e reuso.
Local: Auditório 5 S – Bloco 5 S – Campus Santa Mônica

Moderador: Renato Gama-Rosa Costa
9h05 – Horacio Enrique Torrent Schneider (Universidad Catolica de Chile) – Edifício da CEPAL – Santiago, Chile  | Emilio Duhart
9h45 – Ayrton Camargo e Silva (Diretor da Estrada de Ferro de Campos do Jordão – SP) – Casa Modernista | Gregori Warchavchik
10h20 – Flavia Brito do Nascimento (FAUUSP) – Blocos de Memorias: Habitação Social, Arquitetura Moderna e Patrimônio Cultural
11h00 – Debate
11h30 – Encerramento

11h30 – 12h30 – MOMO-TOUR

12h30 -14h00: INTERVALO PARA ALMOÇO

14h00 – 16h05: Sessões de Comunicações 
Auditório A, B, C, D – Bloco 5 O – Campus Santa Mônica

16h05 – 16h20 – COFFEE BREAK

16h20: Mesa Redonda: 25 ANOS DO DOCOMOMO BRASIL: ORIGEM E TRAJETÓRIA
Local: Auditório 5 S – Bloco 5 S – Campus Santa Mônica

Convidados: Coordenadores DOCOMOMO Brasil
Moderadora: Marta dos Santos Camisassa
–    Anna Beatriz Ayrosa Galvão (DOCOMOMO | BA) (DEPOIMENTO)
–    Angela Pedrão (DOCOMOMO | BA)
–    Lucio Gomes Machado (DOCOMOMO | SP)
–    Hugo Segawa (DOCOMOMO | SP) (DEPOIMENTO)
–    Carlos Eduardo Comas (DOCOMOMO | RS) (DEPOIMENTO)
–    Sonia Marques (DOCOMOMO | PE ) (DEPOIMENTO)
–    Luiz Manoel Eirado do Amorim (DOCOMOMO | PE)
–    Fernando Diniz Moreira (DOCOMOMO | PE) (DEPOIMENTO)

–   Lançamento da revista | docomomo _br

18h30 – Lanche 

19h00:  Conferência de Encerramento: O DOCOMOMO Internacional e suas ações junto a sociedade
Local: Auditório 5 S – Bloco 5 S – Campus Santa Mônica

Convidada: Ana Tostões
Presidente do DOCOMOMO Internacional
Professora Catedrática, Coordenadora do Programa Doutoramento em Arquitetura do Instituto Superior Técnico, Universidade de Lisboa, Portugal
20h00 – 20h30 – debate

20h30 – Sessão de encerramento

21h30 – Jantar/Festa de encerramento e de comemoração –  25 Anos do DOCOMOMO Brasil (sob adesão)
Local: Uberlândia Clube – Rua Santos Dumont, 517, Centro.

PROGRAMAÇÃO PRÉ-EVENTO E PÓS-EVENTO

Workshops
17/11/2017 a 20/11/2017
Workshop  – Uberlândia | Palácio da Justiça – Fórum de Uberlândia
Arquitetos Convidados: Roberto Pinto Manata e José Carlos Laender

MOMOTOUR

22 a 24/11/2017
Uberlândia-MG 

25/11/2017
Sacramento-MG – Vila dos Operadores de Jaguara;
Araxá-MG – CBMM Casa de Hóspedes – Rino Levi  Arquitetos Associados; Conjunto Paisagístico: Parque da Estância do Barreiro  e Fonte Andrade Junior – Francisco Bolonha e Roberto Burle Marx.

Lançamento da Revista Docomomo Brasil

O DOCOMOMO Brasil, como parte das comemorações dos seus 25 anos, tem o prazer de anunciar a publicação do número 01 da revista | docomomo_br.

O lançamento ocorrerá na Assembleia do 12º Seminário DOCOMOMO Brasil.

Uberlândia-MG
23 de novembro
às16h20
Auditório A – B Bloco 5R – Campus Santa Mônica

12º Seminário DOCOMOMO Brasil

O tema do 12º Seminário DOCOMOMO Brasil pretende contribuir no debate sobre a preservação e sobre a difusão do acervo arquitetônico e urbanístico do Movimento Moderno brasileiro no sentido de seu reconhecimento pela sociedade em geral. Desse modo, o objetivo deste Seminário é avançar no estudo destas práticas e pensar as diferentes formas de ampliar o diálogo e a ação do DOCOMOMO Brasil com as comunidades envolvidas e com os diferentes órgãos preservacionistas, entendendo-se que ambos atores são responsáveis pela tutela desse patrimônio cultural. Coloca-se assim em questão como o DOCOMOMO Brasil pode ampliar seu engajamento social atuando junto a grupos sociais, associações culturais, instituições, ONGs, órgãos governamentais e mesmo outros setores da academia, para propor alternativas de uso, de gestão e de atribuição de valor e também promover a apropriação do patrimônio moderno e dos contextos que o envolvem.
Clique aqui para maiores informações

VILANOVA ARTIGAS: Casas Paulistas

O Docomomo_Brasil, o IAB-PE, o MDU/UFPE e a Romano Guerra Editora convidam para a palestra e lançamento do livro:

"Vilanova Artigas - casas paulistas" de Marcio Cotrim

Terça-feira dia 18 de abril de 2017, às 19h no IAB-PE
Rua Jener de Souza, n.130, Derby, Recife-PE

Abertura: Fernando Diniz - Coordenador Geral Docomomo Brasil
Apresentação do Livro: Marcio Cotrim

O livro se origina da tese de doutorado defendida com em julho 2008 na Universidade Politécnica da Catalunha, de autoria de Marcio Cotrim e sob a orientação dos professores Fernando Alvarez Prozorovich (Espanha) e Abilio Guerra (Brasil), que assinam a apresentação do livro, onde pode ser ler o seguinte:

“Evitando mecanismos apriorísticos, o autor trabalhou com uma grande quantidade de material original do período analisado disponível no arquivo de Vilanova Artigas, visitou e experimentou suas casas, conversou com seus proprietários e recolheu valiosos depoimentos. Além disso, realizou um trabalho de análise metodologicamente impecável no qual se destacou o interesse pela obra e a necessidade de revelar o modus operandi do autor, buscando recordar o ‘muito no pouco’, como diz o poema de Fernando Pessoa citado pelo próprio Artigas em seu texto 'O desenho', de 1967. E devemos reconhecer que não é tarefa fácil o desafio de analisar obras e projetos estilisticamente tão diferentes como as casas Elza Berquó, José Mário Taques Bittencourt III, Ariosto Martirani, Alfred Günther Domschke, Juvenal Juvêncio, Elias Calil Cury ou José Vieitas Neto. Na confrontação com a doxa arquitetônica de sua época, expressada pela jovem crítica brasileira desencantada frente aos dogmas modernos reinantes, Artigas parece eleger dar um passo atrás, talvez para não ficar completamente isolado”.

Na ocasião, o livro estará à venda pelo preço promocional de apenas R$40,00.

Patrocínio: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo

Realização: Governo do Estado de São Paulo e Ministério da Cultura, Lei de Incentivo à Cultura.
Apoio Cultural: Projeto Vilanova Artigas, Gail e Senac

Carta manifesto em apoio à preservação da arquitetura moderna do Recife

Aconteceu no dia 16 de março na sede do IAB-PE, no antigo edifício do Pavilhão de Óbitos, um das primeiras obras da Arquitetura Moderna em Recife, o debate sobre a “Descaracterização da Arquitetura Moderna”, com a participação de Marco Antônio Borsoi (arquiteto e filho de Acácio Gil Borsoi), Tota Maia (arquiteto e filho de Heitor Maia), Ricardo Pessoa de Melo (arquiteto e filho de Vital Pessoa de Melo) e do arquiteto Wandenkolk Tinoco. Também esteve presente na mesa Maria Luiza Macedo Xavier de Freitas, secretária executiva do Docomomo_Brasil.

Como resultado do debate foi redigido um manifesto, o qual se pode acessar pelo link no facebook.

Participantes do debate. Foto: IAB-PE

Realizado em Palmas o II SAMA

Entre os dias 13 e 16 de março ocorreu o II SAMA em Palmas, no Tocantins. O SAMA é um evento anual e itinerante que se iniciou em Manaus em 2016 e deverá percorrer todas as capitais da Amazônia Legal.

Nessa segunda edição, organizada pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) e Centro Universitário Luteranos de Palmas (CEULP/ULBRA), participou um número bastante expressivo de inscritos, cerca de 700, de 16 estados brasileiros. Entre os conferencistas estavam Hugo Segawa (USP), Hélio Olga (Ita Construtora), Gustavo Utrabo (Aleph Zero Arquitetura), Luis Fernando Cruvinel e Walfredo Oliveira (autores do plano de Palmas), José Botura Portocarrero (UFMT) e Celma Paes (UFPA).

Durante o evento foi feito o pré-lançamento do periódico AMAzônia Moderna, produto do SAMA e primeira revista acadêmica de arquitetura da região norte, exibida a mostra de filmes do Docomomo_BR e realizado o Samatour onde se constatou o estado de abandono da primeira sede da Assembleia Legislativa do estado, projeto do arquiteto Ernani Vilela.

No encerramento foi apresentada uma carta de apoio ao escritório Brasil Arquitetura em razão de recente constrangimento midiático e iniciada a campanha #salveantigaALtocantins para alertar a sociedade para o descaso com o patrimônio arquitetônico no estado.
O III SAMA será em fevereiro de 2018 na cidade de Belém.

Agradecemos ao filiado Marcos Cereto pela colaboração

Samatour à antiga sede da Assembleia Legislativa do Tocantins. Autoria: comissão organizadora II SAMA

Apresentação da Revista AMAzônia Moderna por sua comissão editorial. Autoria: Comissão organizadora II SAMA

Seminário Internacional la Arquitectura de la Gran Ciudad

O II Seminário International La Arquitectura de la Gran Ciudad ocorreu entre 21 e 22 de novembro Pontificia Universidad Católica de Chile em Santiago, Chile. A coordenadora do Docomomo International, Ana Tostões, participou como uma das palestrantes principais do evento.

Casa Vanna Venturi é tombada na Filadélfia

Vanna Venturi House. Foto: Carol Highsmith

A pioneira Vanna Venturi House projetada por Robert Venturi para a sua mãe em Chestnut Hill, nos arredores da Filadélfia, foi oficialmente tombada pelo Philadelphia Register of Historic Places. Projetada em 1962 e construída entre 1963 e 1964, a casa é um dos ícones da arquitetura pós-moderna. Tendo passado pelas mãos de apenas dois proprietários quando adquirida meses atrás, a casa está hoje integralmente conservada. O atual proprietário está plenamente comprometido com sua preservação.
http://philly.curbed.com/2016/11/11/13597060/vanna-venturi-house-historic-designation?mc_cid=8f8d39f39c&mc_eid=c89bab9486

O moderno em prosa e risco

No último dia 16 de novembro, realizou-se na sede do IAB RJ o primeiro evento preparatório para o IV Docomomo Rio 2017. O evento foi aberto pelo presidente do IAB-RJ, Pedro da Luz, sendo chamados para compor a mesa inicial os professores Renato Gama-Rosa (COC/Fiocruz) e Andréa Borde (PROURB/UFRJ), coordenador e vice do Docomomo-Rio, respectivamente, e Margareth Pereira (PROURB/UFRJ) para apresentarem e discutirem o tema O Moderno no Rio: do Risco ao Risco, que norteará as discussões do próximo seminário Docomomo Rio. 

Margareth Pereira iniciou sua palestra recuperando a noção de passado e de prospecção de futuro na relação com o patrimônio, ao lembrar uma série de intervenções que ocorreram na cidade do Rio do século XIX até os dias de hoje. Para Margareth os projetos realizados na cidade, desde Lauro Muller e Pereira Passos até às obras do Porto Maravilha, passando por Agache, Dodsworth e Carlos Lacerda, sempre lidaram com destruição, construção e reconstrução e, nesses casos, o patrimônio foi se reconfigurando para atender ao processo de transformação da cidade. Ela chamou atenção para o fato que tais projetos, de uma forma mais positiva que outros, agiam com base em planejamento, ausente nas intervenções contemporâneas. Concluiu sua palestra conclamando as instituições, em especial o Docomomo e o IAB, para juntarem esforços em ações de tomada de consciência quanto à conservação do patrimônio moderno no Rio de Janeiro, indicando possíveis caminhos para as próximas discussões que levarão ao IV Docomomo Rio.

Evento preparatorio docomomo rio realizado no IAB-RJ

 

Na mesma ocasião, a pesquisadora Ana Esteban Maluenda (Universidade Politecnica de Madrid), fez palestra de lançamento do livro La Architectura Moderna en Latinoamerica, por ela organizado.

Museografia e Arquitetura de Museus: Fotografia e Memória

Museografia e Arquitetura de Museus: Fotografia e Memória

Homenageando o fotógrafo pernambucano Benicio Watley Dias (1914 – 1976), cujas fotografias constroem uma imagem moderna do Recife nas décadas de 1930 a 1950, aconteceu em Lisboa, Madrid, Rio de Janeiro e Recife a quinta edição do Seminário Internacional Museografia e Arquitetura de Museus dedicado ao tema Fotografia e Memória.

Com o mérito de reunir pela primeira vez estudiosos brasileiros e estrangeiros voltados para pesquisa com o recente tema da fotografia, o seminário foi organizado pelo grupo de estudos ArqMuseus, da UFRJ, com a parceria de algumas instituições das cidades que o sediaram: em Lisboa pela ULHT e FA/ULisboa, em Madrid pela UPM, ETSAM e em Recife pelo LUP e MDU.

Em Recife contou com a conferência de abertura de Pedro Karp Vasquez sobre o recém-lançado livro de fotografias do Rio de Janeiro, de Cristiano Mascaro, e com a conferência de fechamento feita por Ulpiano Meneses sobre Imagem Visual, Fotografia e Memória.

Uma seleção de trabalhos do seminário já está reunida no livro Museografia e Arquitetura de Museus, Fotografia e Memória, organizado por Cêça Guimarães e editado pela Rio Books.

13/10/2016. Credito: Gil VIcente/Fanzine/Fundaj. 5º Seminário Internacional - Museografia e Arquitetura de Museus: Fotografia e Memória. Sessão de Comunicações. Cêça Guimaraens (UFRJ) - Benício Dias

13/10/2016. Credito: Gil VIcente/Fanzine/Fundaj. 5º Seminário Internacional - Museografia e Arquitetura de Museus: Fotografia e Memória. Conferência “Fotografia e Memória. A Lição do Mestre, com Pedro Vasquez, escritor, fotógrafo e editor, sobre a obra de Cristiano Mascaro, O Rio Revelado

Jockey Clube de Porto Alegre

No último Docomemos, publicamos, na seção Edifícios em Risco, o caso do Jockey Clube de Porto Alegre (RS), conhecido como Palácio de Cristal e tombado pela Prefeitura desde 2008. Em resposta, recebemos dos arquitetos Flávio Kiefer e Lídia Fabrício, informações de que o edifício em questão está passando por ações emergenciais de proteção dos dois pavilhões citados.

Apesar de não ser um restauro completo do conjunto, Kiefer ressalta que com essas ações já se conquistou um Plano Diretor para o complexo, a transferência da Vila Hípica para o entorno da pista, foram feitas benfeitorias no Pavilhão Social e há uma política de sustentabilidade em marcha. “O mais importante, porém, é o reconhecimento do poder público e da direção do clube da necessidade de restauração de sua arquitetura”, segundo bem pontua o arquiteto.

Parabenizamos Flavio Kiefer e Lidia Fabrício pelo trabalho desenvolvido no Jockey Clube, agradecemos as informações e desejamos que todo o trabalho seja levado a um bom termo, fazendo com que a integridade do conjunto seja mantida.

Salão do Jockey Clube. Foto: Flávio Kiefer

Realizada em Lisboa a 14th Docomomo International Conference

Com o tema Adaptative Reuse, transcorreu em Lisboa, entre 6 e 9 de setembro último, o 14º Seminário Internacional do Docomomo. As atividades iniciaram-se, de fato, no dia 1 com um workshop visando a recuperação de um complexo na área portuária de Lisboa e com os Docomomo Tours por Lisboa. Entre os palestrantes principais estavam Gonçalo Byrne, Joan Busquets, Caruso & St John, Lacaton & Vassal, Carrilho da Graça, Winfried Brenne, além de Rem Koolhaas, numa entrevista à distância.  O evento contou com 35 sessões de apresentações abordando diversos aspectos da historiografia e da conservação da arquitetura moderna e com participantes de quase 70 países. O Brasil teve um expressivo número de congressistas apresentando trabalhos ou coordenando mesas: quinze pesquisadores provenientes de sete estados diferentes e de instituições diversas como a UFRGS, UFRJ, USP, UPM, UFPE, UFPB, Fiocruz e Câmara dos Deputados.
No encontro do conselho do Docomomo, realizada no dia 8, estiveram representados quase 50 dos 70 países que formam o Docomomo. O Brasil, que recuperou sua condição de membro votante, esteve representado pelo seu coordenador geral, Fernando Diniz Moreira.  Ana Tostões foi reeleita para um novo mandato. Gana, Iraque e Kossovo foram admitidos como estados participantes. Além dos comitês de especialistas existentes (Educação e Teoria, Tecnologia, Registros, Urbanismo e Paisagismo) foi criado ainda o comitê de Design de Interiores, que iniciará suas atividades ainda este ano.  Foi aprovada a proposta apresentada pela Eslovênia para a cidade de Ljubljana ser a sede do próximo seminário em 2018, com o tema Post-Metamorphosis: Modern Movement and the Fututre of Change.Após o evento, ocorreram ainda Docomomo Tours pela cidade do Porto.

Assembléia do Docomomo. Foto: Marcia Lessa

Assembléia do Docomomo. Foto: Marcia Lessa

Assembléia do Docomomo. Foto: Renato Gama-Rosa

Assembléia do Docomomo. Foto: Renato Gama-Rosa

Sessão CIAM Revisited, coord. por Carlos E. Comas. Foto: Fernando Diniz Moreira

Sessão CIAM Revisited, coord. por Carlos E. Comas. Foto: Fernando Diniz Moreira

Joan Busquets, Josep Maria Montaner, Gonçalo Byrne. Foto: Fernando Diniz Moreira

Joan Busquets, Josep Maria Montaner, Gonçalo Byrne. Foto: Fernando Diniz Moreira

Realizado em Cataguases o 3º CATS

Entre 8 e 10 de outubro foi realizada a terceira edição do Congresso de Arquitetura, Turismo e Sustentabilidade de Cataguases (CATS), reunindo profissionais, estudantes e pesquisadores para discutir a preservação do patrimônio, com forte ênfase nos inúmeros exemplares modernos de arquitetura e artes integradas dessa cidade.
O evento teve entre seus palestrantes Silvio Oksman (FAUUSP), Marcelo Brito (IPHAN), Fernando Diniz Moreira (Docomomo Brasil e UFPE), Juca Villaschi (UFOP), André Marques (UFJT) e Raphael Winter (UFRJ) e foi coordenado por Elisabete Kropf.
Aldary Henriques Toledo, arquiteto ainda pouco estudado pela historiografia, foi homenageado. Fernando Diniz e Silvio Oksman ministraram dois workshops sobre a conservação da casa Medeiros Filho e do Cine Ideal, ambas de autoria desse arquiteto, sendo a última projetada em parceria com Carlos Leão.

Visita dos participantes do 3 º CATS à Residência Ottoni Alves Gomes, de Francisco Bologna. Foto: Bruna Nogueira

Visita dos participantes do 3 º CATS à Residência Ottoni Alves Gomes, de Francisco Bologna. Foto: Bruna Nogueira